SARAU DA JIJOCA: PLANTAR (SURGIMENTO DA IDEIA), REGAR (EXECUÇÃO DO SARAU), COLHER (TROCA DE SABERES)

  • Karina Constantino Brisolla
  • Karina Constantino Brisolla
  • Athemis Nunes da Fonseca
  • Lucas da Silva Árias
  • Sandro Martins Costa Mendes
Rótulo Sarau, Jijoca, Produção, Cultural, Periferia

Resumo

O Sarau da Jijoca surgiu no ano de 2018, na vila Kennedy, bairro periférico da cidade de Jaguarão, onde também se localiza a Unipampa e é residência de seus estudantes. Ele surge através da intenção de realizar o lançamento da produção do intitulado livro: A vitória demora, mas vem: entre cores, amores, ruas e mandingas. O encontro artístico entre a poesia marginal de Lucas da Silva, e as ilustrações e colagens de Karina Brisolla (Brisô) foi o que impulsionou e caracterizou esse projeto, que atualmente conta com três edições. A 1ª edição ocorreu no quintal da sua co-criadora, a partir da 2ª passou a ocorrer na Rua XV de Novembro, em frente ao Barracão do Bloco Burlesco Associação Beneficente Recreativa Esportiva Carnavalesca Batata, esse que se tornou um grande parceiro na produção do evento, pois é quem disponibiliza grande parte da infraestrutura utilizada. O sarau busca propiciar um espaço de fruição de manifestações artísticas e culturais através da descentralização da cultura impulsionando a economia solidária, gerando renda, autoestima e protagonismo aos sujeitos periféricos da cidade de Jaguarão e região. Assim oportunizando o acesso a arte de uma maneira fluida e espontânea, de modo que a comunidade se aproprie da cultura do sarau e seus mecanismos de planejamento, se reconhecendo como agentes culturais. A pré-produção do Sarau inicia-se com um mês de antecedência. Com uma sequência de reuniões no Barracão, as quais buscam definir as expectativas da próxima edição de acordo com as demandas da comunidade local. Os produtores são os criadores do sarau, alguns integrantes do Bloco do Batata e demais parceiros que agregam de forma orgânica, sendo alguns estudantes do curso de Produção e Política Cultural (UNIPAMPA), moradores, empreendedores e artistas locais e regionais. A produção ocorre no dia do evento. A rua é fechada e são dispostos ao longo do espaço sofás e cadeiras, contando também com uma decoração que disponibiliza poemas em um varal suspenso. Prioriza-se a formação de um palco, no qual funciona o que é chamado de mic livre, que viabiliza um espaço de expressão artística, além de um local para a feira exposições. Os resultados alcançados é a socialização periódica e a troca de saberes entre o Bloco, a comunidade local e acadêmica, proporcionando a concretude do Sarau e sua marca através da confecção de camisetas, adesivos e banner da identidade da Jijoca. Assim, essa parceria atende o compromisso que a universidade possui de retornar para a sociedade os conhecimentos ali produzidos, se caracterizando enquanto um projeto de extensão a partir da 3º edição que ocorreu no encerramento da III Semana Acadêmica de Produção e Política Cultural. Além de oferecer um novo espaço de sociabilidade a comunidade que cedeu o horto florestal, antigo espaço de lazer, para a existência da Unipampa. Visto que além de estudantes, somos parte dessa comunidade, o Sarau da Jijoca representa essa fusão cultural, artística e periférica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
CONSTANTINO BRISOLLA, K.; CONSTANTINO BRISOLLA, K.; NUNES DA FONSECA, A.; DA SILVA ÁRIAS, L.; MARTINS COSTA MENDES, S. SARAU DA JIJOCA: PLANTAR (SURGIMENTO DA IDEIA), REGAR (EXECUÇÃO DO SARAU), COLHER (TROCA DE SABERES). Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.