AÇÃO DE INTEGRAÇÃO DE “MENINAS NAS CIÊNCIAS”: BUSCA PELA IGUALDADE DE GÊNERO NO MERCADO CIENTÍFICO

  • Milenne Baltazar de Almeida Bolanho
  • Bruna Zambrano
  • Michele Carrard
  • Andreia Sousa
  • Caroline Raquel Bender
  • Caroline Jaskulski Rupp
Rótulo Meninas, Ciências, Igualdade, gênero

Resumo

A antiga e vigente desproporção de gênero no mercado acadêmico e científico que é, segundo a Academia Brasileira de Ciências, majoritariamente composto por homens, atinge até noventa e cinco porcento em determinadas áreas. No mercado de trabalho essa desproporção se apresenta através da desigualdade salarial, em que, mulheres recebem acima de vinte e três por cento a menos que os homens, ocupando o mesmo cargo. Dados como estes motivam ações de extensão que busquem a modificação do atual cenário desigual em gênero do mercado científico. Desta maneira, o projeto busca incentivar meninas de escolas da rede pública da cidade de Itaqui, para carreiras cientificas relacionadas as áreas de química, física e engenharias. Através de ações dinâmicas realizadas em escolas, demonstra-se a importância da mulher na sociedade, despertando meninos e meninas sobre a importância da desconstrução de conceitos ultrapassados em relação a desigualdade de gênero. Este trabalho apresenta os resultados de uma ação de extensão realizada na Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Roque Degrazia no município de Itaqui, com um grupo com 49 crianças, de em média 12 anos de idade. A ação foi composta de um seminário educativo que explorou ao redor do academicismo e desenvolvimento científico; experimento relacionado de extração de DNA humano e a importância social desse tipo de experimento, para aumentar o vínculo entre as crianças e as ciências; exposição da conjuntura atual de desigualdade social utilizando notícias e dados recentes que causassem impacto motivando a mudança deste panorama e, além disso, a demonstração da oportunidade de se integrar às ciências, trilhando um caminho através das universidades públicas. Os meninos não foram excluídos durante as ações dando início a um ambiente de inclusão e igualdade de gênero. Através da aplicação de questionários antes e depois da apresentação, obtiveram-se dados referentes às percepções sociais dos indivíduos e conhecimento de mercado científico. Enquanto que no início 73% sugeriram que há desigualdade entre homens e mulheres nas áreas científicas, após a ação 84% concordaram com certeza sobre esta afirmação. Da mesma maneira 24,5% desta amostra de Itaquienses desconheciam oportunidades para ingressar na ciência no município. Esse número foi reduzido para 6% após a apresentação. Por conseguinte, 49% das crianças votaram inicialmente que laboratórios, hospitais e universidades privadas são responsáveis pela maior parte da produção científica no país, ao passo que, no segundo questionário, 62% responderam que as universidades públicas representam esse título. Conclui-se que a curto prazo, algumas modificações estruturais já foram alcançadas, como mostram os dados. As crianças situaram-se sobre a necessidade de que a igualdade de gênero se instaure, a princípio, a nível de área científica e agregaram informações sobre as oportunidades de se integrarem às ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
BALTAZAR DE ALMEIDA BOLANHO, M.; ZAMBRANO, B.; CARRARD, M.; SOUSA, A.; RAQUEL BENDER, C.; JASKULSKI RUPP, C. AÇÃO DE INTEGRAÇÃO DE “MENINAS NAS CIÊNCIAS”: BUSCA PELA IGUALDADE DE GÊNERO NO MERCADO CIENTÍFICO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.