DAMA DA NOITE; OCUPAÇÃO DE RESISTÊNCIA TEATRAL PELA DIVERSIDADE E RESSIGNIFICAÇÃO SIMBÓLICA EM TERRITÓRIOS FRONTEIRIÇOS

  • Breno Primo de Melo de Araújo Brito
  • Sandro Martins Costa Mendes
Rótulo Teatro, Produção, Cultural, Patrimônio, Fronteira

Resumo

Este trabalho consiste no relato sobre a criação, produção e fomento de público do ofício teatral, reinserindo no imagético da comunidade acadêmica e do entorno do Campus Jaguarão da UNIPAMPA a utilização de uma casa abandonada que se localiza ao lado da universidade, no limiar entre os bairros da Vila Kennedy e do Cerro da Pólvora, comunidades historicamente constituídas de sujeitos que se encontram à margem da centralidade cultural de Jaguarão. Entendendo o território fronteiriço, ao qual está inserida a UNIPAMPA Campus Jaguarão, como também à margem de centralidades culturais, e embasado no objetivo institucional de descentralização do conhecimento na região sul do país, foi que definiu-se a proposta de criação de espetáculo teatral em espaço não central na cidade. Vale ressaltar a existência na cidade de espaços arquitetônicos históricos tombados pelo IPHAN, abandonados ou mesmo ociosos em sua maioria, que configuram em suas narrativas estéticas e simbólicas todo um passado sócio histórico transpassado por um contexto ao qual emergiu a cidade de Jaguarão, reconhecida como cidade heroica por sua luta e resistência militar dentro dos fenômenos e processos sociais que implicam numa cidade de fronteira com Uruguai. O projeto teve então, como objetivo, a ressignificação de um desses espaços como possível polaridade ou mesmo capilaridade de ações culturais que positivamente possam modificar tais espaços, ocupando-os com linguagens artísticas. Dessa maneira, o discente petiano do Curso de Bacharelado em Produção e Política Cultural, ator e autor do presente texto, teatraliza um conto da obra literária Os Dragões Não Conhecem o Paraíso do autor dramaturgo, poeta e jornalista Caio Fernando Abreu. O conto escolhido, Dama da Noite deu nome ao espetáculo que foi encenado na casa abandonada citada anteriormente. O espetáculo adaptou o conto como monólogo, abarcando justamente as questões inerentes aos sujeitos que se encontram à margem, evidenciando questões como solidão, sexo e morte e as inquietudes da alma e as não concretudes de espacialidades esquecidas. O trabalho ocorreu dentro da III Semana Acadêmica de Produção e Política Cultural, que teve por temática "Resistência- Palco do Produtor", o que propiciou a transformação da casa, através da limpeza de pátio e dependências internas, do uso de luzes no exterior e interior da casa e recebeu público que lotou as dependências. O evento colocou no interior da casa a comunidade acadêmica e externa, além de ter dado visibilidade ao espaço antes abandonado. Através do espetáculo se pode valorizar a atividade do produtor cultural para a ressignificação de espaços, fomento a novos públicos e divulgação de linguagens artísticas. Da mesma maneira, ajudou ao PET de Produção e Política Cultural a reforçar o diálogo com a comunidade do entorno do campus, inclusive com a possibilidade de mais atividades realizadas no mesmo lugar, desta maneira fomentando outras narrativas que preservem a memória dos moradores.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
PRIMO DE MELO DE ARAÚJO BRITO, B.; MARTINS COSTA MENDES, S. DAMA DA NOITE; OCUPAÇÃO DE RESISTÊNCIA TEATRAL PELA DIVERSIDADE E RESSIGNIFICAÇÃO SIMBÓLICA EM TERRITÓRIOS FRONTEIRIÇOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 3, 4 dez. 2020.