PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA E O BIOMA PAMPA: UMA POSSIBILIDADE PARA O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

  • Débora de Souza
  • Ailton Jesus Dinardi
Rótulo 1, Bioma, Pampa, 2, Pedagogia, Histórico-Crítica, 3, Ensino, Aprendizagem

Resumo

A abordagem contextualizada dos conteúdos, no ensino de Ciências, pode contribuir para a aproximação dos educandos aos conhecimentos científicos. Além disso, valoriza a aprendizagem significativa e cria meios para a construção de novos conhecimentos. Através disso, a proximidade dos alunos a temática Bioma Pampa, pode favorecer a interação entre homem e natureza e dar subsídios para a promoção da consciência ambiental, a qual poderá amparar recursos econômicos, sociais, culturais e históricos. Assim, o presente estudo tem por objetivo investigar as preconcepções dos estudantes em relação ao Bioma Pampa nas séries finais do ensino fundamental (6º anos) e proporcionar espaços de formação sobre o tema em duas escolas municipais de Alegrete-RS com diferentes cenários sociais, estando uma em contexto urbano e outra em âmbito rural. Os integrantes da pesquisa apresentam-se em um intervalo de idade de 11 a 12 anos, representando 15 alunos da escola urbana (EU) e 17 da escola rural (ER). A Pedagogia Histórico-Crítica (PHC) proposta por Demerval Saviani, constituiu o amparo metodológico neste procedimento investigativo e de formação associado a temática Bioma Pampa segundo o autor, a PHC, pode ser compreendida através de cinco passos (Prática Social Inicial, Problematização, Instrumentalização, Catarse e Prática Social Final) que estruturam a relação ensino aprendizagem (SAVIANI, 2000). A interação com a Prática social inicial, decorreu com a utilização de questionário e a projeção de imagens, conseguindo verificar que 100% dos alunos, de ambas as escolas, identificaram a localização correta do município de Alegrete/RS, no mapa do Brasil. No entanto, ao expor aos alunos o mapa brasileiro, contendo os seus 6 (seis) biomas, propondo a estes que identificassem e pintassem em conformidade a sua respectiva legenda, os resultados indicam que apenas 45,55% dos alunos da ER e 33,33% da EU identificaram e pintaram corretamente os biomas. Excluindo o Bioma Amazônico e o Bioma Pampa (ER), a quantidade de acertos aos outros biomas foi sempre menor que 50%. Ao fazer uso de imagens dos biomas, para que os estudantes pudessem caracterizá-los e identificá-los, em média os alunos da EU obtiveram melhor desempenho, porém o Bioma Pampa foi diferenciado por apenas 58,82% de alunos da EU e por 20% de alunos da ER. Analisando as duas últimas questões que aponta os conhecimentos relacionados à biodiversidade animal e vegetal nativas e exóticas do Pampa, os acertos dos alunos da EU, em média são menores que os acertos dos alunos da ER. Nesta perspectiva, é possível concluir que os alunos da escola rural caracterizam melhor o cenário do Bioma Pampa, uma vez que a aprendizagem pode ser mais significativa, pois são mais familiarizados com o ambiente. Estes resultados, constituirão o segundo passo da PHC, que é a Problematização, onde serão socializados e discutidos com os alunos participantes da pesquisa. Torna-se indispensável que todos compreendam que existem dificuldades no des

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DE SOUZA, D.; JESUS DINARDI, A. PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA E O BIOMA PAMPA: UMA POSSIBILIDADE PARA O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.