FEIRA DE CIÊNCIAS COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DA AUTONOMIA

  • Adriana Greco
  • Raquel Ruppenthal
Rótulo Educação, Inovação, Científica, Ferramenta, Pedagógica

Resumo

A autonomia concerne ao indivíduo/pessoa ter a condição de tomar suas próprias escolhas em sociedade. Neste trabalho buscamos ver o aluno como protagonista e sua atuação no ambiente escolar, um desses momentos motivou o nosso questionamento e reflexão sobre a falta de autonomia de alunos em suas decisões e elaboração de trabalhos no ambiente escolar ao serem apresentados ao evento de Feira de Ciências. A Feira de Ciências é um empreendimento técnico-científico-cultural que se destina a estabelecer a inter-relação entre a escola e a comunidade que oportuniza aos alunos demonstrar, a sua criatividade, o seu raciocínio lógico, a sua capacidade de pesquisa e seus conhecimentos científicos por meio de projetos planejados e executados (MORAES, 1986, p. 20). Esse trabalho tem por objetivo analisar a produção científica relativa às Feiras de Ciências como uma alternativa pedagógica para motivar as tomadas de decisões, a participação em trabalhos que envolvem práticas, ao trabalho colaborativo bem como a autonomia do aluno. Esta pesquisa trata-se de uma revisão de literatura de caráter qualitativo, realizada por uma acadêmica do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Universidade Federal do Pampa Campus de Uruguaiana/RS. A temática de interesse origina-se pelas vivências no PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência), no qual houve a oportunidade de participar de momentos de reflexões sobre a Feira de Ciências na escola. Isso instigou a pesquisar que propostas a Feira de Ciências traz para fomentar a autonomia em estudantes. A seleção dos artigos aconteceu na plataforma digital Google Acadêmico e Periódicos da CAPES. Como critérios de busca utilizamos as palavras chaves: Autonomia na educação, autonomia e Feira de Ciências, nos últimos 10 anos. A partir desses parâmetros, foram localizados 6 trabalhos. Quanto ao local, estes trabalhos foram realizados nos estados do RS, TO, PR, RJ e MG. Os autores trabalharam com a pesquisa empíricas e aplicados em escolas estaduais e municipais. Dos seis trabalhos, quatro concluem que as Feiras de Ciências são uma excelente alternativa pedagógica para a iniciação científica do aluno e contribuem para a tomada de decisões no âmbito escolar. Os outros dois trabalhos afirmam que estes eventos não se apresentam como incentivo a iniciação científica, mas apenas como um evento pedagógico da escola. A partir dos dados apresentados, é possível concluir que há poucos trabalhos relacionados a Feiras de Ciências como estratégia para desenvolver a autonomia e isso demonstra a necessidade de mais pesquisas relacionadas a Feira de Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
GRECO, A.; RUPPENTHAL, R. FEIRA DE CIÊNCIAS COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DA AUTONOMIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.