FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR: PROTAGONISMO, MOTIVAÇÃO E IDENTIDADE PELA VIA DOS LETRAMENTOS ACADÊMICOS.

  • Cátia Goulart
  • Veronice Camargo da Silva
Rótulo Extensão, universitária, Formação, inicial, Metodologias, Letramentos, acadêmicos, Protagonismo

Resumo

Assim como os estágios supervisionados, a extensão universitária é mais uma importante aliada da formação inicial do professor, que perpassada e constituída por conhecimentos teóricos, é consolidada à medida que os graduandos ampliam e compartilham experiências decorrentes das interações com o público externo. Os processos acerca da elaboração de metodologias pedagógicas, agregados às teorias apreendidas e àquelas ainda em fase de apropriação pelo licenciando, cooperam gradual e significativamente para edificar o protagonismo e mobilizar sentidos sociais e identidades suscitados a partir destas práticas, pressuposto e defendido pelos novos estudos de letramento como letramentos acadêmicos. A pesquisa aqui delineada tem por objetivo geral avaliar se e em que medida os graduandos participantes dos projetos de extensão aderem aos planejamentos e sugestões criados por outros ou criativamente preferem articular suas intervenções. Sob a abordagem de caráter qualitativo e de cunho etnográfico, não se pretende aqui apresentar de forma alguma resultados genéricos, e sim enquanto pesquisadores do Grupo de Estudos e Pesquisas Estudos Integrados à Educação: Linguagens e Letramentos, objetivamos especificamente investigar as expressões dos graduandos atuantes em dois projetos de extensão da universidade, realizados em duas escolas de educação básica no município de Bagé em 2019. Assim, além de revisitar as reflexões de oito participantes dos projetos de extensão universitária, registradas após execução das práticas, foi aplicado como instrumento de pesquisa, um questionário sobre aspectos pontuais do processo constituído. A interpretação destas falas revelou que os atuantes nos projetos de extensão sentiram-se mais motivados quando ajudados a construir ou aprimorar suas ideias para as intervenções ao invés de apenas acolher os planejamentos produzidos por outra pessoa. Além disso, percebeu-se também que, neste processo criativo, mesmo com dificuldades, ainda houve melhor desempenho e satisfação para a execução do trabalho. O contrário também ficou evidente, pois os graduandos apresentaram certa resistência em executar metodologias criadas por outra pessoa, o que afetou negativamente ou deixou lacunas no processo formativo. Concluímos assim, que por criar e organizar suas próprias metodologias para as intervenções, os graduandos foram envolvidos e mobilizados em variados processos de letramentos que extrapolam técnicas tradicionais de leitura e escrita. Estes processos marcados e impactados pelas relações culturais e de poder, próprias de um modelo ideológico favorecem uma perspectiva mais crítica e assunção do letramento como prática social.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
GOULART, C.; CAMARGO DA SILVA, V. FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR: PROTAGONISMO, MOTIVAÇÃO E IDENTIDADE PELA VIA DOS LETRAMENTOS ACADÊMICOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.