NARRATIVAS IMAGÉTICAS A EVIDÊNCIA DO INVISIVEL NO CINEMA INDÍGENA

  • Caroline Oliveira
  • Maria Angela Ferreira Oliveira
Rótulo 1, Cosmologia, Indígena, 2, Vídeo, nas, Aldeias, 3, Povos, Originários, 4, Cinema, 5, Linguagens, Fílmicas

Resumo

I) introdução: O cinema surge no final do século XIX na França com os irmãos Lumiére, conseguir imagens em movimento foi algo perseguido desde a Antiguidade, com a fotografia foi possível fixar a imagem numa superfície, seja ela papel, placa de metal ou vidro. Chegando no Brasil com o imigrante italiano Paschoal Segreto, tendo sua primeira sala de exibição no Rio de Janeiro, as primeiras filmagens das terras tupiniquins aconteceram na Baía de Guanabara em 1898 e no ano seguinte em São Paulo filmadas por Segreto. O cinema brasileiro aborda a temática indígena desde a sua origem, em 1910. Desde então vem contribuindo para a construção de uma imagem dos grupos e sujeitos indígenas que nos situa em termos de bons e maus selvagens face aos preceitos conceituais como civilização, nacional e Estado. O cinema indígena brasileiro produzido por nativos, surge com o projeto de vídeo nas aldeias em 1986, fomentado pelo franco-brasileiro Vicent Carelli, teve início na aldeia Xavante de Sangradouro no Mato Grosso. O VNA possibilitou que os indígenas investigassem e registrassem o que viviam, proporcionando uma perspectiva de diálogo intercultural de compromisso e militância, até então inexistente no campo cinematográfico brasileiro. Atualmente os indígenas passaram a ganhar maior visibilidade em suas produções, na linguagem do cinema e em outras, passou a ocupar o espaço que por muito tempo foi tido como o lugar do outro; II) objetivo(s): ● Valorizar as narrativas dos povos indígenas dentro da linguagem cinematográfica contemporânea; ● Preservar a memória de diversos povoados através da exibição de produtos audiovisuais produzidos por nativos; ● Fomentar e difundir a cultura do cinema, podendo assim disseminar o cenário gráfico e visual da cultura indígena. III)Metodologia: A metodologia a ser empregada durante o projeto Narrativas imagéticas: A evidência do invisível no cinema indígena tem seu início no levantamento de informações e coleta de dados para delimitar as possíveis maneiras de se executar e fomentar a produção cinematográfica indígena. O processo se deu a partir da pesquisa etnográfica na região de Garanhuns PE, e em tribos parceiras ao VNA, respectivamente cidade onde ocorre uma mostra de cinema indígena e locais onde estes filmes são produzidos. IV) resultados e discussão: A produção desta pesquisa, gerou uma inquietação nos envolvidos, que acabaram por realizar um evento, levando pautas indígenas para dentro da Unipampa- Jaguarão, demarcando a importância dos povos originários na produção fílmica e intelectual para academia.V) conclusão A discussão sobre produção de conteúdo indígena está longe de seu fim, este projeto conta parte de uma investigação sobre o fomento e disseminação destas obras produzidas pelo VNA, colocando a prova as dificuldades encontradas ao se fazer cinema no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
OLIVEIRA, C.; ANGELA FERREIRA OLIVEIRA, M. NARRATIVAS IMAGÉTICAS A EVIDÊNCIA DO INVISIVEL NO CINEMA INDÍGENA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.