REAÇÃO ÁLCALI-AGREGADO: ANÁLISE POR MEIO DA MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA

  • Thiago Dutra
  • Alexander Ian Ferreira Dutra
  • Jacson Soares Oliveira
  • Juliano de Almeida Zacarias
  • Simone Dornelles Venquiaruto
Rótulo Reação, Álcali-Agregado, Gel, expansivo, Microscopia, Eletrônica, Varredura

Resumo

RESUMO O concreto possui alta capacidade de ser moldado em seu estado fresco, característica que torna o material viável de ser utilizado em diferentes obras de engenharia e em ambientes com as mais variadas situações (1). Justamente por ser exposto a diferentes condições ambientais o concreto pode sofrer agressões do ambiente com o passar do tempo, que podem causar danos na sua estrutura. Um exemplo desse tipo de degradação é aquela originada pela Reação Álcali-Agregado (RAA). A RAA é uma reação química que ocorre entre os álcalis presentes no Cimento Portland e na água de amassamento com determinados minerais encontrados nos agregados (areia e brita) (2). Em uma estrutura de concreto a reação é desencadeada pela combinação de três fatores, presença de álcalis e minerais reativos na matriz cimentícia somados à condição de umidade na estrutura. O produto da reação entre esses elementos é um gel com características higroscópicas que apresenta caráter expansivo (3). A reação RAA é um processo espontâneo, que após iniciado não pode ser detido, tornando qualquer tipo de reparação ou manutenção ineficiente ou economicamente inviável (4). O objetivo dessa pesquisa foi identificar a presença do gel expansivo no interior de barras de argamassa, executadas conforme a norma ABNT NBR 15777-4 (5), através da técnica de microscopia eletrônica de varredura por elétrons secundários (MEV). Foram investigadas barras de argamassa confeccionadas com cimento CPV ARI contendo agregados de origem basáltica, sendo eles areias de brita da região de Uruguaiana/RS e São Borja/RS - já caracterizados por estudos anteriores como potencialmente reativos frente a RAA. Para a análise de MEV foram retiradas amostras das barras já ensaiadas, com o intuito de encontrar poros preenchidos pelo produto da reação (RAA) e obter imagens de microfissuras na matriz cimentícia. Com base na análise dos resultados, pode-se afirmar que a análise por MEV cumpriu com a sua finalidade, concedendo gravuras com resoluções altas que permitiram a confirmação dos diagnósticos de RAA nas amostras ensaiadas. REFERENCIAS (5) Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 155770-4, 2009. (1) MEHTA, P.K.; MONTEIRO, P.J.M. Concreto: Estrutura, propriedades e materiais. 2ª ed. São Paulo: Ibracon, 2008; (4) NEVILLE, A.M. Propriedades do concreto. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2016; (2) PRISZKULNIK, S. Inspeção e Diagnóstico de Estruturas de concreto afetadas pelas reações cimento-agregado. In: ISAÍA, G.C. Concreto: Ensino, pesquisa e realizações. São Paulo: Ed. Ibracon, 2005. Vol. 2. p. 1018-1070; (3) VALDUGA, L. Reação álcali-agregado: mapeamento de agregados reativos do Estado de São Paulo. 2002. 213f.. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) -Faculdade de Engenharia Civil, Universidade Estadual de Campinas, Campi

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DUTRA, T.; IAN FERREIRA DUTRA, A.; SOARES OLIVEIRA, J.; DE ALMEIDA ZACARIAS, J.; DORNELLES VENQUIARUTO, S. REAÇÃO ÁLCALI-AGREGADO: ANÁLISE POR MEIO DA MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.