AVALIAÇÃO DA CORROSÃO DE MONUMENTOS HISTÓRICOS DE BAGÉ-RS

  • Nicole Dallaccua
  • Rafael Henrique Silva dos Santos
  • Thaciana dos Santos Moreira
  • Luciana Machado Rodrigues
Rótulo Corrosão, Monumento, Metal, Bagé

Resumo

A região do Pampa com sua rica história de guerras, heróis, lendas, paisagens e povo particular, é explorada pela literatura, cinema, turismo, e estudos históricos. Estes fatos são lembrados por monumentos que fazem parte do patrimônio cultural da região. No entanto, a ação do tempo, do meio, e atitudes inapropriadas das pessoas, provocam uma deterioração destes monumentos localizados em ruas e praças das cidades. A corrosão é um tipo de deterioração do material que causa alterações prejudiciais, resultando em perda de resistência mecânica e mudança estética da estrutura metálica. Em específico, a corrosão atmosférica atua nestas estruturas devido aos ventos, temperatura, insolação, chuvas, gases, materiais particulados, dejetos de aves e outros animais, e poluentes. O objetivo deste trabalho de pesquisa foi avaliar o estado de degradação e corrosão de monumentos históricos metálicos da cidade de Bagé-RS. Para a execução desta pesquisa foram realizadas análises visuais in locu, aquisição de imagens digitais dos monumentos e pesquisa bibliográfica na área de corrosão, para a avaliação do seu grau de degradação. Foi realizado um levantamento de dados históricos sobre os monumentos alvos do estudo, junto a bibliotecas, prefeitura municipal e fontes de pesquisa digitais. Os resultados indicam que alguns dos monumentos históricos selecionados, para uma análise detalhada, evidenciam pontos de degradação acentuada das estruturas. A maioria dos monumentos históricos apresentavam manchas superficiais de oxidação. São algumas das estruturas avaliadas o antigo Canhão, na praça da Estação; uma caldeira, utilizada em trem da antiga estação férrea, hoje exposta para visitação em Bagé; bustos de praças centrais da cidade; um monumento em forma de motocicleta, na praça dos Esportes; o monumento das carretas, na praça das Carretas; os portões de entrada do prédio da prefeitura municipal; o pórtico de entrada da cidade, as estátuas de cães guardiães do palacete Pedro Osório, no centro de Bagé; etc. Conclui-se que os monumentos selecionados para a realização da pesquisa apresentaram pontos de corrosão localizada (por pite), evidenciando alteração de cor e perda de material das estruturas, principalmente devido à emissão de poluentes na atmosfera, e excrementos de aves. Este fato evidencia a necessidade de manutenção periódica dos monumentos para a sua preservação, como sua limpeza, mantendo viva a história da região do Pampa. A remoção de produtos de corrosão (óxidos depositados) sobre as estruturas metálicas pode ser facilmente realizada por lixamento ou limpeza química, com algum tipo de solvente, segundo a literatura, viabilizando a manutenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DALLACCUA, N.; HENRIQUE SILVA DOS SANTOS, R.; DOS SANTOS MOREIRA, T.; MACHADO RODRIGUES, L. AVALIAÇÃO DA CORROSÃO DE MONUMENTOS HISTÓRICOS DE BAGÉ-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.