AVALIAÇÃO DA POTABILIDADE DE ÁGUAS PROVENIENTES DE DIFERENTES FONTES EM BAGÉ E ACEGUÁ-RS

  • Luana Tholozan
  • Luciana Machado Rodrigues
Rótulo POLUIÇÃO, POTABILIDADE, QUALIDADE, DA, ÁGUA

Resumo

O abastecimento público de água em termos de quantidade e qualidade é uma preocupação crescente na sociedade, em função da escassez deste recurso e da deterioração da qualidade dos mananciais. As atividades humanas têm gerado grandes mudanças no meio ambiente. Os crescentes desmatamentos, os processos de erosão/assoreamento dos mananciais superficiais, os lançamentos de efluentes e detritos industriais e domésticos nos recursos hídricos têm contribuído para esta situação. Nos países em desenvolvimento este problema é agravado devido a baixa cobertura da população com serviços de abastecimento de água potável. O Brasil possui grandes extensões de recursos hídricos, destinados a diversos usos, no entanto, os processos de urbanização sem planejamento, industrialização sem fiscalização, e produção agrícola sem levar em conta a capacidade de suporte dos ecossistemas, associado ao precário sistema de saneamento básico, colocam em risco o abastecimento público brasileiro de água. Neste trabalho a qualidade de diferentes fontes de água potável foram avaliadas por análises físico-químicas, e comparadas com a legislação ambiental vigente no Brasil. Foram investigadas amostras de águas potáveis que abastecem o Campus Bagé da UNIPAMPA, e as cidades de Bagé e Aceguá, no estado do Rio Grande do Sul, sendo: água da torneira de um banheiro e de bebedouro do Campus Bagé (advindas de poço artesiano de Bagé), água tratada pelo sistema municipal de águas de Bagé, água armazenada em caixa d´água de amianto (Bagé) e água de poço artesiano de Aceguá. A metodologia empregada consistiu da cuidadosa coleta das amostras de águas, caracterização das águas quanto aos valores de pH, condutividade elétrica (CE), índice de turbidez, teores de sólidos totais dissolvidos (STD), íons cloretos, e oxigênio dissolvido, e a comparação dos valores obtidos com leis ambientais, como a Portaria de Consolidação n°. 5, Anexo XX (2017), Portarias da FUNASA Fundação Nacional de Saúde do Ministério da Saúde (2014), e Resoluções do CONAMA Conselho Nacional do Meio Ambiente do Ministério do Meio Ambiente (2005). As análises físico-químicas foram realizadas em laboratório com a utilização de equipamentos digitais portáteis via sonda de detecção. Os resultados indicaram que a água proveniente de poço artesiano em Aceguá apresentou CE=274 µS/cm, sendo que o valor máximo permitido é de 100 µS/cm. Esta foi a única amostra de água fora dos padrões de potabilidade, e somente para este parâmetro. A amostra de água armazenada em caixa d´água de amianto (material tóxico à saúde humana) apresentou elevados teores de CE e STD, comparando às demais águas, mas mantendo-se dentro do valor máximo permitido. As amostras de águas coletadas no Campus Bagé da UNIPAMPA, e tratada e distribuída no município de Bagé, foram enquadradas como águas de boa qualidade para o consumo humano. É de suma importância a manutenção da qualidade das águas para o desenvolvimento das sociedades.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
THOLOZAN, L.; MACHADO RODRIGUES, L. AVALIAÇÃO DA POTABILIDADE DE ÁGUAS PROVENIENTES DE DIFERENTES FONTES EM BAGÉ E ACEGUÁ-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.