PUBLICIDADE À LUZ DOS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DE UMA ATIVIDADE CRIATIVA-MÁQUINA DE GUERRA

  • Júlia Paz
  • Gabriel Sausen Feil
Rótulo Atividade, criativa, Máquina, guerra, Publicidade, Propaganda

Resumo

O presente trabalho tem como intuito verificar se há uma peça publicitária composta pelos elementos constitutivos do conceito de atividade criativa-máquina de guerra, de Feil (2019). O trabalho elabora, então, duas pesquisas bibliográficas, uma no texto Tratado de Nomadologia: A máquina de guerra, de Deleuze e Guattari (2012) e uma em Atividades criativas-máquina de guerra, de Feil (2019), para elucidar esses elementos constitutivos, e uma análise e leitura de imagem para verificar se existe uma peça publicitária que se encaixe no conceito de atividade criativa-máquina de guerra. Segundo o texto de Deleuze e Guattari (2012), máquina de guerra é da ordem do fluxo, tenta romper com o aparelho de Estado (formas já institucionalizadas). Os autores relacionam com o xadrez e o go, onde as peças do xadrez já possuem regras, códigos de conduta ou "propriedades intrínsecas, de onde decorrem seus movimentos[...] (p. 13), ou seja, elas já possuem regras, código de conduta, já um peão do go, ao contrário, têm apenas um meio de exterioridade, ou relações extrínsecas [...], segundo as quais desempenha funções de inserção ou situação, como margear, cercar, arrebentar (p. 14). No texto Atividades criativas-máquina de guerra, Feil (2019) explica o que é uma atividade criativa-máquina de guerra: se atividade criativa é toda atividade humana que usa da criatividade para fazer diferente do que já se fez e/ou faz (p. 259), atividade criativa-máquina de guerra, por sua vez, é mais específica e tende a apresentar alguns elementos constitutivos. Para verificar se tais elementos podem estar presentes em uma peça publicitária, o trabalho se apropria da ação unhate, da marca Benneton, de 2012, que mostra dois líderes de religiões se beijando. A verificação mostra que a peça tem os seguintes elementos constitutivos de uma atividade criativa-máquina de guerra - usando aqui as expressões do texto de Feil (2019) e apresentando apenas os elementos mais marcantes: é para todos e para ninguém, pois pode atingir qualquer pessoa, não tem um nicho definido; produz sentidos em suspensão, pois hesita entre relações homoafetivas e religiões que, muitas vezes, servem como justificativa para a homofobia; é não representacional, pois não se associa a nada e nem ergue bandeiras, apenas golpeia e é tudo. O presente trabalho explora possibilidades, amplia o modo de enxergar a publicidade, não restringindo-a à forma incorporada pelos meios de comunicação de massa, forma que tende a limitar a publicidade à ideia de ferramenta de manipulação para vender produtos, serviços e ideias. REFERÊNCIAS DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Tratado de nomadologia: a máquina de guerra. In: ______; ______. Mil Platôs vol. 5. São Paulo: Editora 34, 2012. FEIL, Gabriel Sausen. Atividades criativas-máquina de guerra. In: OLIVEIRA, Gerson de Lima; SANTOS, Larissa Conceição; BONITO, Marco (Orgs.). Comunicação em cont3xto de pesquisa. São Borja: Unipampa; Assis: Triunfal Gráfica e Editora, 2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
PAZ, J.; SAUSEN FEIL, G. PUBLICIDADE À LUZ DOS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DE UMA ATIVIDADE CRIATIVA-MÁQUINA DE GUERRA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.