O ÊXODO RURAL DE JOVENS DE ASSENTAMENTOS

  • Victoria Salles
  • José Wesley Ferreira
Rótulo Assentamento, Êxodo, rural, Jovens

Resumo

Atualmente há uma evasão de jovens dos assentamentos rurais, pouco discutida e entendida por parte da sociedade. O êxodo rural vem se intensificando nos últimos anos, por isso, é importante falar sobre o tema, tendo em vista que a agricultura familiar representa a maior parte da produção que chega até a mesa da sociedade, ou seja, tal trabalho é de extrema relevância social. Além disso, com o êxodo rural tende a se acentuar a questão social nas zonas urbanas das cidades. Pressupõe-se que a migração dos jovens da zona rural para a zona urbana é motivada pelo desejo de melhorar sua qualidade de vida a partir do acesso ao trabalho e atividades de lazer e culturais oportunizada nas cidades. O objetivo do estudo foi compreender os fatores que levam os jovens a trocarem o campo pela cidade. Trata-se de uma pesquisa exploratória realizada através análise documental de artigos que discorriam sobre o tema bibliográfica. A seleção dos artigos ocorreu mediante busca no Google acadêmico com as seguintes palavras chaves: Evasão de jovens. Evasão de assentamentos. O material selecionado e utilizado correspondeu à cinco artigos. Os resultados evidenciam que o processo de mudança na maioria das situações é motivado pelo desejo de acesso a atividades de lazer e cultura e também pelo desejo de estabelecer mais intensamente relações sociais e afetivas possibilitadas no contexto urbano devido ao maior contingente populacional nesse espaço. No entanto, as mudanças produzem outras dificuldades para os jovens que migram. Nas cidades eles enfrentam o desemprego e a precarização do trabalho o que obstaculiza a melhoria da qualidade de vida almejada com o êxodo rural em um movimento no qual a pobreza se intensifica. Tal pobreza os acompanham já na zona rural em razão de estarem assentados em terras pouco produtivas. As migrações ocorrem predominantemente de assentamentos com terras inférteis que são facilmente alagadas devido a posição geográfica, ou são extremamente declinadas, o que dificulta o seu cultivo. Outra situação identificada sobre o perfil dos jovens que migram para a zona urbana é que eles são, predominantemente, homens solteiros que no convívio com as famílias constituídas nos assentamentos geram conflitos por serem beberrões e bagunceiros o que faz com que sofram preconceitos dos demais assentados. Essa convivência conflituosa nos assentamentos é relevante na compreensão das razões que determinam a evasão de jovens que acaba por reproduzir e intensificar a pobreza desses sujeitos. Portanto, o processo de êxodo rural de jovens é decorrente de situações de exclusão que vivenciam nos assentamentos em razão de serem solteiros e terem hábitos considerados impróprios pelas famílias constituídas nesses espaços. Além disso, a falta de estrutura para produzir além da própria sobrevivência os impulsionam a mudança para as cidades em busca de melhor qualidade de vida em um processo que na maioria das situações acabam por intensificar a pobreza.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SALLES, V.; WESLEY FERREIRA, J. O ÊXODO RURAL DE JOVENS DE ASSENTAMENTOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.