PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ

  • Isabelle Silveira
  • Gustavo Fachi Rauber
  • Cíntia Lemes
  • Daviane Aparecida de Azevedo
  • Alice Maria Alves
Rótulo Perfil, sócio-econômico, ingressantes, perfil, psicossocial

Resumo

No Brasil, a oferta da educação alterou-se significativamente a partir dos anos 90. Houve nesse período um intenso crescimento do ensino superior, cujas matrículas triplicaram (ANDRADE, 2012). O ensino superior é um dos setores da economia que não deve poupar esforços para identificar as expectativas e necessidades de seus discentes. Dentro desse contexto, em 2006 foi fundada a Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Para analisar as possibilidades de expansão do acesso a esse segmento do ensino, é preciso levar em conta não apenas os requisitos educacionais formais necessários para o acesso como também o perfil dos alunos ingressantes, a importância de se obter este perfil pode ajudar a universidade no estabelecimento de políticas que interfiram positivamente na vida do estudante. Objetiva-se neste estudo fazer uma análise a partir de dados da UNIPAMPA Campus Bagé relativos aos alunos ingressantes no semestre 2019/1, referentes ao perfil étnico, civil e sócio-econômico destes. Para obtenção do perfil dos alunos, foi realizada uma pesquisa no sistema XIRU no qual foram coletadas informações pessoais, psicossociais e socioeconômicas de uma amostra de 84 alunos ingressantes do campus Bagé. Dos 84 alunos tomados como amostra, uma grande parte é do sexo feminino (64,3%), na faixa etária entre 18 e 25 anos (83,3%), com estado civil solteiro (95,2%), advindos de escola pública (75,3%), com cor declarada branca (71,4%) e não possui filhos (91,7%), possuem como maior dificuldade matemática e suas tecnologias (30,9%) e possui nível básico em língua estrangeira e informática (44,4% e 53,1%, respectivamente). Atualmente a maioria mora com familiares (65,1%), tendo grupo familiar constituído de 2 até 3 pessoas (54,2%), com renda de 2 até 3 salários (48,2%) e também até 1 salário mínimo (43,4%). A principal fonte de sustento destes estudantes é o auxílio dos pais (71,1%) e 89,2% usa transporte coletivo como meio de locomoção. A escolaridade dos seus pais corresponde em grande maioria ao Ensino Médio completo (33,3%) ou ensino fundamental incompleto (27,2%). Quanto aos aspectos psicossociais, a maioria não realiza tratamento psicológico (67,9%) e nem psiquiátrico (85,2%), não usa medicamentos contínuos (81,4%) e não apresenta nenhum tipo de deficiência (95,1%). Pode-se concluir deste estudo, que o perfil dos alunos ingressantes se compõe de jovens adultos de baixa renda autodeclarados brancos sendo em sua maioria mulheres, dependentes do grupo familiar e oriundos de escola pública, com básico conhecimento em línguas estrangeiras e informática e que desejam concluir o curso de graduação e trabalhar na área. A maioria não faz tratamento psicológico ou psiquiátrico ao ingressar na universidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SILVEIRA, I.; FACHI RAUBER, G.; LEMES, C.; APARECIDA DE AZEVEDO, D.; MARIA ALVES, A. PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.