SEMENTES DA PAMPA: PELO FORTALECIMENTO DAS MULHERES DO CAMPO!

  • Tatiana Mendoza
  • Bruna Pereira Ferreira
  • Renata Menezes Allende
  • Tatiana De Mello Ribeiro Cruz
  • Cassiane da Costa
  • Marco Aurélio Torres Rodrigues
Rótulo Assentadas, Agroecologia, Grupos, mulheres, Autonomia, Gênero

Resumo

No Brasil, o campesinato, assim como outros campos sociais, é marcado pela dominação masculina. Por outro lado, as mulheres lutam de diferentes formas para mudar essa situação e construir a equidade de gênero. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho é apresentar as ações desenvolvidas pelo Núcleo de Gênero Sementes da Pampa junto a mulheres assentadas da reforma agrária em Santana do Livramento/RS, visando promover a organização coletiva e a autonomia dessas mulheres com base na Agroecologia. O Núcleo de Gênero Sementes da Pampa é formado por docentes e discentes dos cursos de Agronomia, Desenvolvimento Rural e Gestão Agroindustrial e Especialização em Desenvolvimento Territorial e Agroecologia da UERGS Santana do Livramento. Em 2019, estamos realizando atividades nos assentamentos de Santana do Livramento em parceria com a COOPERFORTE (Cooperativa Regional dos Assentamentos de Reforma Agrária) e o Setor de Gênero do MST (Movimento Sem Terra). Trabalhamos com Pesquisa-Ação, inicialmente realizando dinâmicas participativas em grupos e rodas de conversa para pesquisar os temas de interesse das mulheres. Essas atividades ocorreram nos assentamentos da reforma agrária em Santana do Livramento Cerro da Cruz, Recanto, São Joaquim e Bom Será, tendo apoio das escolas do campo e das sedes comunitárias locais. A partir dos temas escolhidos como depressão da mulher do campo, violência contra as mulheres, plantas medicinais, feiras, dança, práticas esportivas e autoestima, estamos desenvolvendo atividades buscando privilegiar a troca de saberes entre essas mulheres. As reuniões acontecem com alegria, emoção, comprometimento e participação das camponesas presentes que avaliam como importante a reconstrução de espaços coletivos para mulheres nos assentamentos. Através dos relatos dessas mulheres, percebemos que os encontros promovidos por elas têm ocorrido apenas em datas comemorativas, sem que haja maior união quanto a lutas coletivas, mas sim para o lazer. Muitas assentadas possuem duplas e triplas jornadas de trabalho, encarregando-se dos afazeres domésticos, do cuidado com os filhos, do trabalho na produção familiar, etc. Outras mulheres relatam que o grupo as fortalece por assumirem de forma solitária o trabalho no lote, visto que algumas são viúvas, vivem sozinhas e sentem o peso da solidão. A continuidade do trabalho se torna fundamental para estimular as mulheres a trocar saberes e experiências com maior frequência, fomentando a criação e fortalecimento de grupos de mulheres nos assentamentos com base na Agroecologia. Sem feminismo não há Agroecologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
MENDOZA, T.; PEREIRA FERREIRA, B.; MENEZES ALLENDE, R.; DE MELLO RIBEIRO CRUZ, T.; DA COSTA, C.; AURÉLIO TORRES RODRIGUES, M. SEMENTES DA PAMPA: PELO FORTALECIMENTO DAS MULHERES DO CAMPO!. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.