A PERSONIFICAÇÃO CÔMICA DE SATANÁS COMO FORMA DE FUGA AOS MALES SOCIAIS NO MEDIEVO OCIDENTAL

  • Maria Gallo
  • Edison Bisso Cruxen
Rótulo Medievo, Teatro, Cultura, popular

Resumo

De forma introdutória o foco está em como peças teatrais, que tratam de assuntos cotidianos, utilizam a representação do Diabo de forma cômica, sátira e burlesca, atingindo o grande público e fazendo com que este fugisse, momentaneamente, das angústias e medos através do riso. Visto que desde o início da Idade Média o riso e o sagrado tiveram uma relação conturbada dentro da Igreja Católica. A hipótese do trabalho encontram-se nas mudanças ocorridas nessa relação e como a aceitação do riso, por parte da Igreja, se converte em uma forma de escape aos males sociais no medievo, especificamente, um riso ligado a imagem cômica e burlesca de um Diabo representado no teatro popular. O presente resumo tem como finalidade apresentar os aspectos iniciais do trabalho de pesquisa acerca das artes populares no medievo, especificamente o teatro, que vem sendo desenvolvida na Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) através do Laboratório de Pesquisa e Estudo em História Medieval (LAPEHME), que trabalha a partir da metodologia de análise de livros, artigos e orientações para debate do mesmo. Visto que, o Diabo enquanto Opositora dos preceitos de comportamento da moral cristã, desfrutava de liberdade para comportar-se de forma inapropriada, pronunciar falas inesperadas e ofensivas, que aos olhos e ouvidos do público, tornavam-se cômicas. Logo, o Inferno, no teatro popular, modifica-se, e mais do que um reino de medo torna-se um reino grotesco, totalmente oposto a grandeza e beleza do reino celestial. E essa representação cênica de satanás se distanciava de um personagem antipático e maligno, assemelhando-se mais aos divertidos clows do que aos espíritos tenebrosos da doutrinação oficial católica. Esses espetáculos, acabam ocupando um espaço significativo nas camadas populares da sociedade e se tornam uma válvula de escape para as tensões sociais, religiosas e políticas. O Diabo teatral contestava, criticava, utilizava de sarcasmos, comportava-se de forma grotesca, invertendo completamente a ordem religiosa e social, constituindo-se em espaço de liberdade em uma sociedade constantemente controlada pelos preceitos da Igreja Católicos.E no seio do teatro popular, que a imagem do Diabo é reapropriada e ressignificada, abandonando seu caráter de terror utilizado pela Igreja como instrumento de uma Pedagogia do Medo e Condenação, transformando-se em personagem divertido e contestador dos poderes instituídos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
GALLO, M.; BISSO CRUXEN, E. A PERSONIFICAÇÃO CÔMICA DE SATANÁS COMO FORMA DE FUGA AOS MALES SOCIAIS NO MEDIEVO OCIDENTAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.