PERIFERIAS E PAISAGENS HIBRIDAS NO BAIRRO DO PASSO – SÃO BORJA (RS).

  • Suelen de Andrade
  • Nola Patrícia Gamalho
Rótulo São, Borja, Bairro, Passo, Espaços, agrícolas, urbanos, Espacialidades

Resumo

As transmutações ocorridas na Cidade de São Borja no decorrer de sua história desde a sua instituição em 1834 estão relacionadas de forma inerente aos movimentos locais e nacionais de mudanças ocorridas entre os espaços agrícolas e o urbano. Assim, buscou-se compreender a formação territorial do município e a interdependência dialética entre a matriz produtiva vinculada aos espaços agrícolas, o desenvolvimento de indústrias de beneficiamento e o setor de serviços destinado ao campo do meio técnico-científico-informacional (SANTOS, 1997). Observa-se que, paralelo a um campo e indústria modernos e desenvolvidos, tem-se uma cidade pobre (FERREIRA, 2009), para compreender esta relação toma-se como recorte do presente estudo o bairro do Passo que constitui-se como uma fronteira concreta e simbólica da cidade, pois faz divisa com a Argentina através do rio Uruguai e remete a paisagens e imaginários de periferias urbanas. Logo, é um espaço intraurbano complexo, cujas transformações e materialidades são aqui problematizadas a partir do conceito de paisagem (VERDUM, 2012) e cartografia social (ACSELRAD, 2008). O parcelamento da cidade em bairros constitui uma importante referência sócio-espacial (SOUZA, 2013) e é revelador de processos, histórias e modos de vida encaixados ao plano do local e articulados aos processos de desenvolvimento regionais e globais. São espacialidades intrarbanas produtoras de sentidos, representações identidades, estereótipos, etc. Assim, pretende-se realizar um levantamento para identificar os processos formadores dessas espacialidades, suas articulações com os processos regionais e globais, assim como a cartografia de limites e cartografias de imaginários desses locais, ou seja, mapear as vilas, loteamentos, marcadores culturais e territoriais do Passo para posteriormente procurar compreender a formação territorial do município e a interdependência dialética entre a matriz produtiva vinculada aos espaços agrícolas, o desenvolvimento de indústrias de beneficiamento e o setor de serviços destinado ao campo do meio técnico-científico-informacional (SANTOS, 1997). A presente pesquisa encontra-se em andamento, assim, pretende-se realizar um levantamento para identificar os processos formadores dessas espacialidades, suas articulações com os processos regionais e globais, tanto como a cartografia de limites e cartografias de imaginários desses locais, ou seja, mapear as vilas, loteamentos, marcadores culturais e territoriais do Passo. Objetiva-se identificar os espaços vividos em seus signos e limites, assim como interpretar as diferentes espacialidades a partir da categoria de paisagens híbridas, uma vez que se observa a confluência de elementos da periferia, do rural e identidades ribeirinhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DE ANDRADE, S.; PATRÍCIA GAMALHO, N. PERIFERIAS E PAISAGENS HIBRIDAS NO BAIRRO DO PASSO – SÃO BORJA (RS). Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.