A INFLUÊNCIA DAS REDES SOCIAIS NO PROCESSO DE (AN)ALFABETISMO CIENTÍFICO.

  • Peterson Cabelleira
  • Rafael Roehrs
Rótulo Redes, sociais, Fake, science, (An), alfabetismo, científico

Resumo

Atualmente as redes sociais são as ferramentas de interações midiáticas eletrônicas mais usadas por estudantes, acreditando-se também serem as primeiras fontes informativas de cunho científico acessadas e compartilhadas. Este meio de comunicação em massa, ao mesmo tempo que atualiza os indivíduos dos acontecimentos globais, incluindo política, meio ambiente, cultura e saúde, também dissemina as Fake News, ou Fake Science, quando tratamos de divulgações científicas. A Fake Science existente há um bom tempo também recebe nome de pseudociência, algo que quer se passar por ciência. No âmbito da ciência identifica-se um grande vazio na construção do conhecimento científico, considerando que este acesso a conteúdos compartilhados sem fundamentação científica e ligados a sites de procedência duvidosa poderá levar a um processo de analfabetismo científico, como nos revela autores como Ático Chassot, Demétrio Delizoicov e Sabbatini. Na definição de analfabetismo científico a que ganha destaque é a de Sabbatini, descrita como a ignorância sobre os conhecimentos mais básicos de ciência e tecnologia que qualquer pessoa precisa ter para "sobreviver" razoavelmente em uma sociedade moderna. Contudo, esse estudo analisa as veiculações científicas de redes sociais e seus compartilhamentos, com a finalidade de perceber a influência sobre o processo de (An) alfabetismo Científico em estudantes da Educação Básica de Escolas Públicas no Município de São Borja/RS. Como parte inicial da pesquisa de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Pampa Campus Uruguaiana, foram identificadas 05(cinco) publicações de redes sociais com temática científica e o número de compartilhamento destas. Na sequência foi realizada a pesquisa para identificar a veracidade do conteúdo científico e suas fontes eletrônicas e a posteriori os dados foram analisados a partir da Análise de Conteúdo de Bardin (1977). Neste estudo identificou-se um grande número de compartilhamento destas publicações, considerando que 03 (três) das 05 (cinco) não apresentaram veracidade e/ou estavam em desacordo com o contexto apresentado nas redes sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
CABELLEIRA, P.; ROEHRS, R. A INFLUÊNCIA DAS REDES SOCIAIS NO PROCESSO DE (AN)ALFABETISMO CIENTÍFICO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.