A EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL NO ENSINO SUPERIOR

  • Crislaine de Oliveira
  • Thuanne Souza Jahnke
  • Juliana Brandao Machado
Rótulo Educação, étnico-racial, Formação, docente, Ensino, Superior

Resumo

Esta pesquisa foi desenvolvida pelo grupo PET Pedagogia, tendo como fio condutor a investigação sobre a docência no século XXI, com recorte específico para as relações étnico-raciais, nos currículos dos cursos de licenciatura. Ao refletir sobre a docência como prática social, vemos um grande desafio em relação às novas gerações. No Brasil, a maior parte da população é negra e não consegue chegar a ter acesso à universidade pública, pela desigualdade social e econômica. Nesse sentido, percebemos a importância da educação em relações étnico-raciais, para promover os Direitos Humanos no processo educativo. Devemos levar em consideração que vivemos em um país multicultural com raças, etnias e culturas distintas, e na sala de aula não é diferente, a aprendizagem tem que ocorrer com respeito às diversas culturas. O presente trabalho foi baseado nas ideias de Petronilha Beatriz G. e Silva (2007), que trata das questões étnico-raciais no movimento negro e educação. O objetivo deste trabalho é investigar se a educação para as relações étnico-raciais faz parte do currículo dos cursos de licenciatura da UNIPAMPA. A metodologia que permeia a pesquisa é a qualitativa e quantitativa, com aplicação de questionário online aos discentes dos cursos de licenciatura da universidade. Os discentes foram questionados se na sua formação docente são discutidas as relações étnico-raciais e a pluralidade cultural nos componentes curriculares dos seus cursos. Os dados obtidos mostram que 79,5% dos estudantes afirmaram que essas temáticas são discutidas nos componentes curriculares. Sendo assim, podemos analisar que alguns cursos ainda não identificam esse espaço de debate sobre questões étnico raciais, no seu currículo. A Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, estabelece as diretrizes e bases da educação nacional para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena. Nessa perspectiva as discussões das temáticas étnico-raciais nos cursos de licenciatura promovem a formação docente em busca da igualdade no sistema educacional, de forma a considerar tal espaço como ambiente de promoção das relações étnico-raciais e da valorização da cultura brasileira. Dentro das lutas e direitos do negro, uma das conquistas foram as cotas raciais. Um dos dados obtidos sobre sistemas de cotas na universidade, foi que 30,8% ingressaram pelo sistema de cotas raciais. Consequentemente, 12,8 % são negros na universidade. Esse dado mostra a necessidade de haver espaço de debates e discussões sobre a história do negro no Brasil, e sua dimensão social e cultural. Concluímos que a educação para as relações étnico-raciais e o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana são importantes nos cursos de licenciatura. Na atual conjuntura do Brasil, as desigualdades sociais e raciais agravam a situação na educação e na formação docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DE OLIVEIRA, C.; SOUZA JAHNKE, T.; BRANDAO MACHADO, J. A EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL NO ENSINO SUPERIOR. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.