O TRABALHO DOCENTE E SUAS CONDIÇÕES: AS PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DA UNIPAMPA

  • Fatima Rodrigues
  • Fatima R Quintana Rodrigues
  • Isadora Cabreira da Silva
  • Juliana Brandão Machado
Rótulo trabalho, docente, formação, inicial, professores, condições

Resumo

O presente trabalho foi desenvolvido por bolsistas do grupo PET Pedagogia e busca analisar as percepções dos estudantes de licenciatura da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), sobre as condições da profissão docente no contexto contemporâneo. Está vinculado ao projeto de pesquisa Docência no século XXI: narrativas, práticas e proposições para uma epistemologia do trabalho docente, e integra o eixo Demandas dos docentes na formação inicial e na educação básica. Através de uma metodologia quali-quantitativa, foi realizado um formulário online através da ferramenta Google Forms, denominado As demandas das/os professoras/es na atualidade, divulgado mediante as listas de e-mail dos cursos e redes sociais dos campi que possuem cursos de licenciatura. Para este trabalho, o enfoque é na questão Como você percebe as condições para o trabalho docente na atualidade?. Das trinta e sete respostas obtidas até o presente momento, quatorze dos respondentes discorrem sobre a desvalorização e a falta de recursos para um trabalho docente promissor, problematizando principalmente os baixos salários, nove enfatizam sobre a precariedade do exercício da profissão, dez fazem uma análise de todos esses elementos relacionando a situações da atual conjuntura política e, apenas quatro, possuem percepções positivas sobre as atuais condições. Dentre os respondentes, 73% são do sexo feminino, o que nos leva a apontar a provável dupla ou tripla jornada conciliada com o curso de graduação. Para Imbernón, (2004) a desvalorização docente é um dos maiores desestimuladores para a participação dos professores nos processos decisórios no interior da instituição escolar. A classe professoral tem sido abalada por todos os lados: baixos salários, deficiências de formação, desvalorização profissional implicando baixo status social e profissional, falta de condições de trabalho, falta de profissionalismo etc. (LIB NEO, 2010, p. 25). A ameaça à proletarização, caracterizada pela perda do controle do trabalhador da educação, em particular do professor, sobre o seu processo de trabalho, contrapõe-se à profissionalização como condição de preservação e garantia de um estatuto profissional que levasse em conta a autorregulação, a competência específica, rendimentos, licença para atuação, vantagens e benefícios próprios, independência etc. (OLIVEIRA, 2010, p. 21). Conclui-se que, a partir dessas condições, por virem repetindo-se há muito tempo, faz-se necessário pensar nas escolas de maneira que (...) devem se tornar sistemas sofisticados de aprendizagem profissional, organizados e estruturados para estimular a aprendizagem para os professores, de forma que esta se transforme em uma parte endêmica e espontânea do seu trabalho (HARGREAVES apud. HOBAN, 2003, p. 41). É importante que haja a reforma do ambiente no qual o docente irá atuar e que a valorização e o reconhecimento de sua profissão seja uma prioridade para a sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
RODRIGUES, F.; R QUINTANA RODRIGUES, F.; CABREIRA DA SILVA, I.; BRANDÃO MACHADO, J. O TRABALHO DOCENTE E SUAS CONDIÇÕES: AS PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DA UNIPAMPA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.