ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS PARA DIMINUIR BARREIRAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE CIÊNCIAS

  • Ana da Silva
  • Caroline Wagner
  • Elisangela Luz da Costa
Rótulo Inclusão, Flexibilização, Curricular, Ensino, Ciências

Resumo

A Educação Inclusiva, vem nos últimos anos, mostrando sua importância nas salas regulares de nossas escolas. Busca-se cada vez mais, estratégias de aprendizagem que atendam a todos os alunos, independente de suas especificidades físicas e/ou cognitivas, sendo assim, este estudo, busca analisar a importância da utilização de diferentes estratégias de aprendizagem no Ensino de Ciências, mais especificamente no estudo dos Sistemas do Corpo Humano no oitavo ano do Ensino Fundamental. O Pibid das Ciências Exatas da Unipampa, Campus Caçapava do Sul, realiza com um de seus subgrupos uma Intervenção Pedagógica que insere em sua prática a análise e discussão de dados produzidos a partir do desenvolvimento destas atividades. Tendo em vista que um número significativo dos alunos destas turmas apresenta diferenças em sua cognição e aprendizagem, o professor tem um grande desafio de possibilitar a apresentação e desenvolvimentos das informações de forma equitativa, visando encontrar estratégias para oportunizar o interesse e a participação de todos. Desta forma, as aulas precisam ser analisadas e planejadas de forma inclusiva desde a acolhida até o desenvolvimento das ações. A fim de responder às necessidades e aos diferentes caráteres de aprendizagem dos alunos algumas estratégias foram planejadas e vem sendo realizadas nas turmas como: a utilização de materiais táteis (bonecos e sistemas em tecido), o uso do celular tanto para pesquisa quanto para significação de algumas palavras desconhecidas dos alunos, a criação de mapas mentais e conceituais, atividades físicas no pátio, experimentações, protótipos dos sistemas, maquetes com materiais diversos, apoios de aprendizagem (atlas, livros didáticos, painéis, etc.) rodas de conversa, dramatização, criação de histórias, jogos, avaliação flexibilizada, etc. Observou-se durante o desenvolvimento desta aplicação que os alunos, independente de suas dificuldades, compreendem melhor os conceitos trabalhados quando eles são apresentados por diferentes vias, quando disponibilizamos aos alunos espaço para observar, discutir, criar, manipular, fazer relações e contextualizar o que está aprendendo. Esta prática além do impacto positivo demonstrado pelos alunos tanto nas aulas quanto em seus Portfólios, no decorrer das atividades, trouxe aos Pibidianos uma nova perspectiva para suas futuras práticas em sala de aula. Foi importante observar que os alunos que não compreendiam a informação por uma estratégia tiveram a possibilidade de compreender através de outra atividade ou recurso. Fica explícito também o conhecimento que o professor tem que possuir sobre cada aluno, conhecer seus limites e saber extrair o melhor de cada um sem desrespeitá-lo, já que cada criança tem seu tempo de aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DA SILVA, A.; WAGNER, C.; LUZ DA COSTA, E. ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS PARA DIMINUIR BARREIRAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE CIÊNCIAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.