O GÊNERO NA FORMAÇÃO DOCENTE

  • Jessica Melo
  • Thais Fusari
  • Juliana Brandão Machado
Rótulo Gênero, Sexualidade, Escola, Discentes, Sala, Aula

Resumo

Há bastante tempo se discute a questão de gênero e sexualidades na escola, muitos estudiosos afirmam que é importante esta abordagem na sala de aula desde a Educação Infantil, para que se discuta sobre o respeito e a diferença, desde o início da formação das crianças. Porém, será que o professor está preparado para discutir este assunto em sala de aula? Qual o suporte que esse professor teve durante a sua formação sobre este tema? O trabalho a ser apresentado irá mostrar uma pesquisa inicial para responder a essas perguntas, que parte de um dos eixos da pesquisa Docência no século XXI: narrativas, práticas e proposições para a construção de uma epistemologia do trabalho docente. O objetivo deste trabalho é mapear se os alunos dos cursos de licenciatura da UNIPAMPA reconhecem ter alguma disciplina, preparação sobre a temática de gênero e sexualidades e, ainda, como pensam na abordagem destas questões na escola ou na sua atuação profissional. A metodologia deste trabalho consiste em um questionário denominado As demandas das/os professoras/res na atualidade encaminhado aos estudantes dos cursos de licenciatura da UNIPAMPA, com questões sobre o acesso e permanência na Educação Superior, Direitos Humanos e cibercultura, construído pelo grupo PET Pedagogia. Nas questões sobre Direitos Humanos podemos tirar algumas conclusões para esta pesquisa que, apesar de ser uma amostra muito pequena, que não é representativa para generalização, obtém índices importantes para serem analisados. Com base nas respostas sobre o presente tema, 73% dos discentes afirmam ter assuntos sobre gênero e sexualidades abordado nos componentes curriculares do seu curso, 81.1% pretendem abordar o assunto na sua atuação como docente e 51,4% se sentem preparados para abordar esta questão em sala de aula. Louro (2018) mostra alguns desafios para abordar estas questões em sala de aula, como os medos que ainda assombram os pais e educadoras/es a tratarem estes assuntos e que para educadoras/es é muito difícil reconhecer as múltiplas identidades de gênero e sexuais. Concluímos que a maioria dos discentes dos cursos de licenciatura querem abordar as questões de gênero e sexualidade na sala de aula, porém muitos não se sentem preparados. Ao pensar a formação dos professores para trabalhar estas questões na sala de aula, estas deveriam fazer parte do currículo da formação docente pois, de acordo com a Resolução n. 02/2015, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior, deve haver nos currículos de formação de professores conteúdos relacionados aos Direitos Humanos, diversidades étnico-racial, de gênero, sexual, entre outras. Dessa maneira, faz-se necessário garantir a construção de políticas públicas educacionais que respeitem as diretrizes para a formação de professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
MELO, J.; FUSARI, T.; BRANDÃO MACHADO, J. O GÊNERO NA FORMAÇÃO DOCENTE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.