ALIMENTAÇÃO DE ALUNOS COM RESTRIÇÃO ALIMENTAR: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE BAGÉ.

  • Samara Pereira
  • Andressa Leandro Machado
  • Daniela Kaminski de Oliveira
  • Uberdan Gonçalves Mendes
  • Márcia Von Fruhauf Firme
Rótulo Alimentação, Restrição, Alimentar, Escola

Resumo

Dentro do cenário da alimentação escolar, de acordo com um dos princípios que norteiam o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), evidencia-se a equidade como fundamento para a promoção do tratamento igual para os alunos sadios e o tratamento diferenciado para os alunos portadores de necessidades especiais, a exemplo dos celíacos e dos diabéticos, que devem receber uma alimentação adequada à sua condição, por intermédio de cardápio elaborado por nutricionista habilitado. Desta forma a alimentação servida na escola deve atender a todos. Diante disso, o presente trabalho desenvolvido por discentes do curso de licenciatura em química no âmbito da componente curricular Organização do trabalho pedagógico na escola pretende investigar se os alunos que necessitam de atenção nutricional diferenciada estão dispondo de tais refeições em uma escola pública localizada na cidade de Bagé, tendo por base as diretrizes do PNAE. Traçaram-se como objetivos específicos: Identificar se a escola cumpre com as legislações e identificar quais são os tipos de restrições alimentares que os alunos da escola apresentam. Primeiramente realizou-se uma aproximação com as nutricionistas da secretaria municipal de educação de Bagé que são responsáveis pela elaboração do cardápio escolar e distribuição de alimentos. De acordo com as mesmas, a maioria dos alunos que apresentam restrições alimentares na cidade de Bagé são diabéticos, seguido de alunos com gastrite e intolerância a lactose, a minoria é de alunos com fenilcetonúria. Segundo as nutricionistas, todos estes alunos possuem um cardápio diferenciado de acordo com suas necessidades e restrições. A partir de tais levantamentos, visitou-se uma escola da rede municipal de ensino, a fim de averiguar se há alunos com necessidades alimentícias específicas e se os cardápios e normas repassadas à escola são fielmente cumpridas pela instituição. De acordo com a equipe diretiva da instituição visitada, os alunos que necessitam de uma alimentação diferenciada estão dispondo de tais refeições. Segundo a diretora, os alunos matriculados com diabetes, gastrite e fenilcetonúria dispõem de refeições apropriadas para suas condições. Notou-se, que a escola visitada, segue a Lei n° 11.947 que determina o provimento de alimentação escolar adequada aos alunos portadores de estado ou condição de saúde específica e que os alunos que necessitam de atenção nutricional diferenciada, em virtude de uma condição específica desfrutam de um cardápio especial. Percebe-se que a escola, cumpre com êxito a lei que rege a alimentação escolar no qual desenvolve ações e práticas de alimentação saudável na escola, orienta o consumo de bons alimentos e preocupa-se com a saúde dos alunos, sejam eles portadores de necessidades alimentares especiais ou não. BRASIL. Referencias Nutricionais para o Programa Nacional de Alimentação Escolar. Brasília: Fundo Nacional de desenvolvimento da Educação, 2009.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
PEREIRA, S.; LEANDRO MACHADO, A.; KAMINSKI DE OLIVEIRA, D.; GONÇALVES MENDES, U.; VON FRUHAUF FIRME, M. ALIMENTAÇÃO DE ALUNOS COM RESTRIÇÃO ALIMENTAR: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE BAGÉ. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.