OCORRÊNCIA DE MINERAIS METÁLICOS E DE ALTERAÇÃO NAS MINAS PAREDÃO E OLARIA

  • Victoria Gomes
  • Samuel Oliveira Bitencourt
  • Guilherme Pazinato Dias
  • Delia Del Pilar Montecinos De Almeida
Rótulo Mineralizações, minerais, alteração, Microscopia, Ótica

Resumo

O município de Lavras do Sul é conhecido desde o final do século XVIII pelo seu potencial aurífero (IGBE, 2017). A exploração do ouro era feita por garimpagem pelos bandeirantes, às margens do Rio das Lavras, guiados pelos índios que habitavam a região. Este potencial atraiu portugueses e espanhóis e favoreceu o desenvolvimento do povoado. Após a guerra do Paraguai, chegou ao município a companhia inglesa Gold Mining, trazendo capital privado, que proporcionou grande progresso para a região. Atualmente, Lavras do Sul continua sendo uma região favorável à exploração de recursos minerais, não apenas de ouro, mas diversos metais. Isto se deve ao fato de que a tecnologia utilizada para pesquisa e exploração na época costumava ser mais rudimentar do que os meios disponíveis hoje, além de que o minério mais procurado era o ouro. Hoje, além do ouro, minérios de cobre, chumbo, zinco e prata apresentam grande interesse. O projeto mais recente de extração pertence à empresa Amarillo Gold, que detém furos de sondagem e análises de diversas minas existentes ao redor do município. Para a realização deste trabalho, foram selecionados, com o auxílio da Empresa Amarillo Gold, testemunhos das minas Paredão e Olaria. Ambas as minas estão localizadas a 2km a Noroeste do centro do município e situam-se sobre o Complexo Intrusivo Lavras do Sul (CILS), que é representado por um corpo alongado segundo N-S, com dimensões de 12x18km e que intrude nas formações Maricá e Hilário (RIBEIRO et al., 1966) a sul-sudeste e leste-nordeste, respectivamente. Estas formações representam as unidades basais da Bacia do Camaquã (PORCHER e LOPES, 2000). Nardi (1984) define o CILS como um núcleo granodiorítico que foi parcialmente assimilado por magmas graníticos mais jovens. O autor ainda menciona que esta assimilação gerou os pertita-granitos presentes nas bordas sul, oeste e norte do núcleo e deu origem a rochas híbridas com características transicionais entre o granito e o granodiorito. Esta hibridização foi responsável por formar a textura rapakivi, que é característica do CILS. Neste estudo foram analisados e descritos 3 furos de sondagem fornecidos pela empresa. Foram estudadas aproximadamente 20 amostras ao microscópio de Luz Transmitida e Refletida com a finalidade de determinar a complexidade dos minerais metálicos e de alteração. Com base nas descrições macroscópicas e microscópicas, foram encontrados minerais como pirita, calcopirita e galena, que contém ouro, ferro e chumbo em sua composição, além de minerais de alteração hidrotermal, como sericita e clorita. Por fim, também se observou a presença de veios de quartzo nas porções alteradas da rocha. Foi constatado que os minerais metálicos ocorrem junto com os minerais de alteração, dentro dos veios de quartzo, portanto, o mecanismo mineralizador da rocha foi o a alteração hidrotermal.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
GOMES, V.; OLIVEIRA BITENCOURT, S.; PAZINATO DIAS, G.; DEL PILAR MONTECINOS DE ALMEIDA, D. OCORRÊNCIA DE MINERAIS METÁLICOS E DE ALTERAÇÃO NAS MINAS PAREDÃO E OLARIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.