PREVALÊNCIA DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO E RELAÇÃO COM SGB EM GESTANTES ATENDIDAS EM URUGUAIANA

  • Maria Santos
  • Paulo Josué da Silva Jaques
  • Gabriel Krieser Biolowons
  • Luciana De Souza Nunes
  • Débora Nunes
  • Leandro Aparecido Irrazabal
Rótulo 1, Gestantes, 2, ITU, 3, SGB

Resumo

Introdução:A infecção do trato urinário (ITU) é a proliferação de microrganismos na urina, que invadem tecidos e causam lesão nas vias urinárias. A ITU apresenta maior incidência em mulheres, devido à atividade sexual, à gestação ou à menopausa. Além da periodicidade dessa infecção, outro fator preocupante em gestantes é a contaminação por Streptococcus do grupo B (SGB), o qual é o agente mais comum na infecção perinatal. Objetivo:O objetivo deste estudo é determinar a prevalência de ITU em gestantes no sistema único de saúde (SUS) da cidade de Uruguaiana, e correlacionar com a colonização por SGB e dados socioeconômicos. Material e métodos:A análise estrutura-se em uma pesquisa quantitativa transversal com abordagem descritiva e procedimento observacional, em que foram examinados 179 prontuários de gestantes atendidas no Hospital Santa Casa de Caridade de Uruguaiana. Resultados e discussão:Os resultados evidenciaram 62(34,6%) pacientes com ITU durante a gestação. A faixa etária das gestantes foi entre 13 e 47 anos. Outros dados mostram que a ITU não parece relacionar-se a complicações obstétricas nestes casos, já que 89% das gestantes não apresentaram nenhuma intercorrência durante a gravidez ou o parto e 6,2% apresentaram trabalho de parto precipitado. A relação entre o número de gestações e o desenvolvimento de ITU também é controversa, uma vez que 67% das pacientes estavam na primeira ou segunda gestação. Dentre as 179 gestantes, apenas 65 (36,3%) realizaram exame para Streptococcus do grupo B (SGB) e 13,8% obtiveram resultado positivo para o teste. Na análise de pacientes acometidas pela ITU, 11,7% apresentaram resultado positivo para SGB. Com relação à escolaridade dessas gestantes, a prevalência é maior na categoria de ensino fundamental incompleto, 26%, seguida pela categoria de ensino médio incompleto, 17%. Já com relação à profissão, 64,5% declara-se como dona de casa, o restante se enquadra como estudante, diarista ou outra categoria. Em estudo semelhante realizado no estado da Paraíba, 29% das pacientes apresentaram ITU durante a gestação, a faixa etária dessas gestantes variou entre 13 e 42 anos. O perfil socioeconômico das pacientes analisadas também é similar, 36% apresentam nível médio completo ou nível superior, já com relação à ocupação, o estudo traz 37% das gestantes como donas de casa ou estudantes. A respeito da colonização por SGB, uma pesquisa realizada no hospital São Marcos, em que se analisou 1523 gestantes, apenas 47% realizou o teste, com uma prevalência de colonização materna por SGB de 34,9%. Nessa mesma análise, 2,6% apresentou ITU por SGB durante a gestação, o que se enquadra como fator de risco para infecção neonatal por SGB segundo o CDC. Conclusão:Esse estudo permitiu correlacionar contaminação por Streptococccus do grupo B e ITU, além de delinear o perfil socioeconômico das gestantes atendidas no hospital Santa Casa de Uruguaiana, em que os fatores analisados poderiam predispor a infecção do trato urinário.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SANTOS, M.; JOSUÉ DA SILVA JAQUES, P.; KRIESER BIOLOWONS, G.; DE SOUZA NUNES, L.; NUNES, D.; APARECIDO IRRAZABAL, L. PREVALÊNCIA DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO E RELAÇÃO COM SGB EM GESTANTES ATENDIDAS EM URUGUAIANA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.