RELAÇÕES PESSOAIS SIGNIFICATIVAS ESTABELECIDAS POR PESSOAS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO

  • Lais Vargas
  • Shana Hastenpflug Wottrich
  • Anelise Dumke
Rótulo apoio, social, doença, renal, crônica, diálise

Resumo

Introdução: A Doença Renal Crônica (DRC) caracteriza-se pela perda lenta e progressiva da função dos rins. Em sua fase mais avançada há a necessidade de terapia renal substitutiva, que influencia diretamente na qualidade de vida do indivíduo em seus aspectos físicos, psicológicos, sociais e econômicos. A rede pessoal significativa compreende a soma de todas as relações que o sujeito distingue e define como significativas, em seu contexto relacional maior. Tais relações são de extrema importância para a continuidade do tratamento e readaptação às mudanças na vida do indivíduo. Objetivo: Descrever a configuração da rede pessoal de pessoas com DRC em hemodiálise. Método: Caracteriza-se como um estudo exploratório e descritivo. Foi utilizado, como instrumento de pesquisa, o Mapa de Redes, que representa graficamente as relações (íntimas, com grau de compromisso relacional intermediário e ocasionais) estabelecidas nos cenários da família, amizades, comunidade, trabalho/estudo e serviços de saúde. Participaram 22 pacientes em tratamento hemodialítico, usuários de uma Clínica Renal de um município da Fronteira Oeste. A análise foi realizada a partir da observação do tamanho e composição das relações pessoais significativas estabelecidas no Mapa de Redes. Resultados e discussão: Os participantes da pesquisa tinham idade entre 30 e 75 anos e estavam entre três meses a oito anos em tratamento hemodialítico. Utilizou-se a denominação pessoas para indivíduos mencionados nos Mapas e grupo para um conjunto de pessoas sem número estabelecido de indivíduos. Na análise dos Mapas observou-se um total de 222 pessoas e 43 grupos citados pelos participantes. Desses, foram encontrados, em ordem decrescente, os seguintes números de membros atribuídos aos diferentes contextos: 139 pessoas e 14 grupos (família), 46 pessoas e três grupos (amizades), 16 pessoas e 17 grupos (serviços de saúde), 14 pessoas e seis grupos (comunidade) e sete pessoas e três grupos (trabalho/estudo). Considerando a proximidade afetiva das relações dos participantes, salientaram-se as relações mais íntimas em todos os contextos do Mapa de Redes (175 pessoas e 30 grupos). Conclusão: Os resultados indicaram a presença marcante das relações familiares, bem como das relações mais íntimas, configurando fonte de suporte para os pacientes. Observou-se que o maior número de grupos citados situou-se no contexto dos serviços de saúde, indicando a importância das equipes de saúde no cenário do tratamento hemodialítico. Tendo em vista isso, destaca-se a relevância de visibilizar os membros da rede, nos diversos contextos, como potenciais protagonistas no cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
VARGAS, L.; HASTENPFLUG WOTTRICH, S.; DUMKE, A. RELAÇÕES PESSOAIS SIGNIFICATIVAS ESTABELECIDAS POR PESSOAS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.