RESISTÊNCIA CARDIORRESPIRATÓRIA E A RELAÇÃO COM A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS DE ESCOLARES DE URUGUAIANA/RS

  • José Junior
  • Saulo Menna Barreto Dias
  • Miriam Raquel de Freitas Monteiro
  • Marta Iris Camargo Messias da Silveira
  • Andrei Hergessel
  • Susane Graup
Rótulo Resistência, Cardiorrespiratória, Escolares, Atividade, Física

Resumo

A prática de atividades físicas (PAF) têm sido apontada como fundamental para a manutenção de níveis adequados de resistência cardiorrespiratória (RC), sendo esta um componente da aptidão física relacionada à saúde. Entretanto, estudos mostram que entre os adolescentes brasileiros, a Educação Física Escolar (EFE) têm sido apontada como a única oportunidade de PAF de uma parcela representativa de estudantes. É necessário considerar, que as características dessa disciplina escolar, nem sempre oportuniza estímulos suficientes para a melhoria da RC, o que evidencia a necessidade de criar uma cultura de PAF extra escolares. Diante destas considerações, o objetivo desse estudo foi analisar a RC e a relação com a PAF de escolares. Este estudo descritivo diagnóstico, integra um projeto maior que visa analisar a Atividade Física, Aptidão Física e Estado Nutricional em Escolares de Uruguaiana/RS: análise temporal 2011-2019, que foi aprovado pelo Comitê de Ética da UNIPAMPA mediante parecer Nº 2.961.732. A população do estudo corresponde à escolares de 10 à 17 anos, matriculados nas escolas das redes públicas, sendo que os dados aqui apresentados foram coletados nas escolas participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID. Para determinar a RC foi utilizado o Teste de 9 minutos, segundo as orientações e classificações do PROESP-Brasil, sendo também aplicado um questionário criado especificamente para o estudo visando identificar se o avaliado participa e gosta das aulas de Educação Física, se participa de escolinhas esportivas/clubes/academias e se gosta de praticar atividades físicas. As coletas foram realizadas em 3 escolas localizadas em bairros distintos do município, previamente agendadas com a direção e realizadas em um espaço reservado para tal. Para a análise dos dados foi utilizada estatística descritiva, bem como, teste do Qui-quadrado para identificar a associação entre as variáveis categóricas (p<0,05). Foram avaliados 451 escolares com média de idade de 13,3±1,98 anos, sendo 243 do sexo masculino (53,9%). Em média o grupo geral apresentou RC de 1208,8±260,8 m, sendo que a frequência na classificação dos resultados evidenciou que 68,7% estão com RC fraca, 19,5% razoável, 9,2% bom e apenas 3,3% muito bom. Em relação à PAF, 91,1% dos adolescentes participam das aulas de Educação Física Escolar e 75,3% de escolinhas esportivas/academias/clubes, sendo que 91,5% gostam das aulas de EFE e 94,9% gostam de praticar atividades físicas de maneira geral. A classificação no teste de RC mostrou associação significativa com o fato de participar de escolinhas esportivas (p=0,005). Com base nos resultados é possível concluir que a prevalência de RC fraca entre adolescentes é alta, sendo que os melhores escores estiveram associados com a prática de atividades extras escolares. Neste sentido, fica evidente a necessidade de estimular os alunos a praticarem atividades físicas para além da EFE.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
JUNIOR, J.; MENNA BARRETO DIAS, S.; RAQUEL DE FREITAS MONTEIRO, M.; IRIS CAMARGO MESSIAS DA SILVEIRA, M.; HERGESSEL, A.; GRAUP, S. RESISTÊNCIA CARDIORRESPIRATÓRIA E A RELAÇÃO COM A PRÁTICA DE ATIVIDADES FÍSICAS DE ESCOLARES DE URUGUAIANA/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.