FIBRO EDEMA GELÓIDE: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE ELETROLIPÓLISE E ENDERMOTERAPIA EM MULHERES JOVENS

  • Ruthy Cristina
  • Fernanda Vargas Ferreira
Rótulo Celulite, Modalidades, Fisioterapia, Satisfação, Pessoal

Resumo

Introdução: O fibro edema gelóide (FEG) é conceituado como uma afecção que atinge a estrutura dermo-hipodérmica, caracterizada por nódulos de variado tamanho e localização e espessamento sub-epidérmico. Associadamente, pode apresentar insuficiência venosa de membros inferiores pela presença de teleangectasias, parestesias, câimbras, sensação de peso, dor à palpação local, micro-hemorragias e diminuição da temperatura tecidual nos locais afetados. A Fisioterapia Dermato-funcional pode atuar em seu tratamento através de recursos como drenagem linfática, ultra-som, endermologia e eletroterapia. Metodologia: Ensaio clínico randomizado com mulheres de 19 a 30 anos com FEG nos graus I, II e III em região glútea. Multigestas, gestantes, com sobrepeso/obesidade, praticantes de exercício físico, tabagistas, sob uso de marcapasso, doenças vasculares ou oncológicas foram excluídas do estudo. Após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, as participantes foram randomizadas em: a) grupo A que recebeu 10 sessões de eletrolipólise cujos parâmetros foram frequência de 25 Hz e intensidade nos primeiros 10 minutos de 5 mA, 15 minutos seguintes 6 mA e últimos 25 minutos 7mA e b) grupo B que recebeu 10 sessões de endermoterapia aplicada através de um rolete médio (diâmetro 60 mm), no modo contínuo, com óleo de amêndoas para deslizamento em movimentos no sentido longitudinal. Os instrumentos utilizados, pré e pós-intervenções, foram uma ficha de avaliação (anamnese e exame físico), avaliação fotográfica e escala de satisfação com a imagem corporal - Body Shape Questionnaire (BSQ). Análises descritivas foram conduzidas (frequência, mediana e intervalo interquartílico, média e desvio padrão da média) no programa SPSS, versão 18.0, e comparações independentes/pareadas foram realizadas (teste t de Student, Mann-Whitney, Wilcoxon, Qui-quadrado), com significância fixada em p≤0,05. Foi obtida aprovação Ética Institucional (número 2014-853188). Resultados: Dez participantes alocadas no grupo da eletrolipólise e oito voluntárias no grupo da endermoterapia finalizaram seus tratamentos. A média de idade foi 20,95 anos, todas as voluntárias apresentavam FEG na forma flácida e a maioria em grau moderado. Não houve diferença estatisticamente significante nas comparações intra e inter-grupos após os tratamentos instituídos, porém, as participantes de ambos os grupos referiram melhora no aspecto do FEG e na pontuação do BSQ. Conclusão: A endermoterapia e a eletrolipólise se mostraram condutas fisioterapêuticas viáveis no tratamento do FEG.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
CRISTINA, R.; VARGAS FERREIRA, F. FIBRO EDEMA GELÓIDE: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE ELETROLIPÓLISE E ENDERMOTERAPIA EM MULHERES JOVENS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.