ANÁLISE DA FLEXIBILIDADE DE ATLETAS DE FUTEBOL CONFORME POSIÇÃO TÁTICA EM CAMPO

  • Cristian Silva
  • Layna Silveira
  • Hemannuélly Rigonatto
  • Sônia Panziera
  • Raissa Fortelini
  • Simone Lara
Rótulo flexibilidade, futebol, atletas

Resumo

INTRODUÇÃO: A flexibilidade tem um importante papel na função neuromuscular, sendo responsável pela manutenção de uma amplitude de movimento adequada das articulações. A flexibilidade contribui para o aprimoramento das técnicas esportivas, gerando uma maior capacidade mecânica do músculo. O jogador de futebol geralmente adota uma postura de semiflexão de quadril e joelho, na execução de movimentos como, condução da bola, corrida e passe, sendo que essa postura pode levar ao encurtamento da cadeia muscular posterior. Devido a uma flexibilidade limitada e a um desequilíbrio de forças, estes atletas podem estar mais expostos a estiramentos musculares, contusões e rupturas ligamentares. Um bom nível de flexibilidade melhora a amplitude articular, a força e a velocidade dos movimentos, tornando-os mais fáceis de serem executados e mais precisos. Com isso, o presente estudo tem como objetivo analisar a flexibilidade de cadeia posterior em atletas de futebol de campo conforme posição tática em campo. METODOLOGIA: Esse estudo transversal, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UNIPAMPA (N. 2.351.616), incluiu atletas de futebol de campo masculino, da equipe universitária da UNIPAMPA, campus Uruguaiana. A avaliação da flexibilidade foi realizada através do teste sentar e alcançar, utilizando o Banco de Wells. Para a execução do teste, o participante senta-se com as pernas juntas, os joelhos estendidos e as plantas dos pés colocadas contra a borda da caixa. O participante é orientado a alcançar lentamente a frente o mais distante possível ao longo do topo do banco, conservando as duas mãos paralelas, não podendo flexionar os joelhos, devendo manter esta posição momentaneamente. São realizadas 3 tentativas, e o maior valor obtido é utilizado. RESULTADOS: Foram incluídos 22 atletas, com média de idade de 23,77±4,44 anos, massa = 83,60±18,17, estatura=1,74±0,04. Percebemos que os goleiros apresentaram valores superiores de flexibilidade (31,15cm), seguidos pelos meias (meio campo e volantes) com valores de 28,66cm, atletas da defesa (zagueiros e laterais) com 25,37cm, e os atacantes com 17,26cm. Porém, não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos (p=0,12) quanto a variável de flexibilidade. Em relação à classificação dessa variável, considerando o sexo e a idade dos atletas, percebemos que apenas os goleiros apresentaram a flexibilidade considerada dentro da média, enquanto que os meias e os atletas da defesa classificaram-se como abaixo da média, e os atacantes apresentaram a flexibilidade classificada como ruim. CONCLUSÃO: Podemos concluir que a variável de flexibilidade não diferiu estatisticamente entre os atletas conforme a posição em campo, porém diferiu quando analisada a classificação considerando sexo e idade. Sendo assim, ressalta-se a importância de trabalhar essa variável no treinamento desses atletas, considerando as características e a função tática em campo, a fim de evitar lesões musculoesqueléticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SILVA, C.; SILVEIRA, L.; RIGONATTO, H.; PANZIERA, S.; FORTELINI, R.; LARA, S. ANÁLISE DA FLEXIBILIDADE DE ATLETAS DE FUTEBOL CONFORME POSIÇÃO TÁTICA EM CAMPO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.