MAPEAMENTO DE LESÕES ARTICULARES EM PACIENTES DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO URCAMP

  • Matheus Damasceno
  • Maria Clara Godois de Jesuz
  • Mirla Ferreira Nunes
  • Gabriel Teixeira Tâmara
  • Lídia Meri Brignol Guterres
Rótulo Fisioterapia, Membro, inferior, Atendimento

Resumo

Dentre as especialidades da Fisioterapia está a área de atuação em ortopedia e traumatologia, importante na reabilitação da população e lhes permitindo uma recuperação funcional para o retorno às atividades. Das lesões atendidas em ambulatórios, estão ombros e joelhos como as mais prevalentes. O joelho é uma das articulações mais solicitadas e expostas a traumas, devido à complexidade e inúmeros critérios para avaliar a sua função, tornam difícil mensurar e quantificar os diversos tratamentos empregados. A cartilagem articular é um tecido formado principalmente por colágeno do tipo 2, muito resistente, porém com pouca habilidade de regeneração. O ombro é a articulação mais complexa e móvel do corpo humano e considerada muito instável por sua anatomia articular, que pode ser atribuída pela grande e arredondada cabeça do úmero e a rasa fossa glenoidal. Assim, toda a alteração pode comprometer sua estrutura e função fazendo com que esse complexo articular seja alvo de inúmeras afecções. Com isso, objetivou-se mapear as lesões mais frequentes de membros superiores e inferiores e suas causas nos pacientes atendidos em ortopedia e traumatologia no hospital universitário da Urcamp/Bagé, onde foi realizado um levantamento no banco de dados informatizado do local, durante o período de fevereiro a junho de 2019, com intuito de realizar um mapeamento das principais lesões ocorridas. Foram coletados dados de localização e tipo de lesão, Idade, sexo e causa da procura pelo atendimento. Durante o período do estudo, foram identificadas um total de 58 pacientes, sendo 65,5% (38/58) mulheres e 34,5% (20/58) homens. Nesses atendimentos, foram relatadas 64 lesões, sendo que, alguns pacientes apresentavam mais de uma lesão. As lesões de maior prevalência foram encontradas em membros inferiores (MI) 35,4%, membros superiores (MS) 22,5%, lesão lombar 20,9%, lesão cervical 19,3% e dor crônica 1,6%. Foi possível observar que em mulheres houve 64% (41/64) de lesões, enquanto nos homens registrou-se 36% (23/64). Nos homens, foram identificadas lesões em MI 54,5%, seguido de MS, 28,5%. As mulheres queixaram-se de lesões na região lombar, 26,8% e nos MI e MS igualmente, com 24,3%. As lesões na lombar ocorreram em 84,6% das mulheres e em 15,4% dos homens. A principal causa informada foi pela ocorrência de acidentes 32,1%; doença pré-existente 14,2%; obesidade 10%; e lesão de esforço repetitivo 7,1%. Quanto à idade, foi observada a maior procura por atendimento entre 31 a 60 anos 46,5%; e acima de 60 anos, 43,1%. Concluiu-se que a procura por atendimento foi realizado principalmente por mulheres acometidas na região lombar e membros, enquanto nos homens, os membros inferiores foram a principal causa de busca pela reabilitação, sendo que a maioria de lesões atendidas foram ocasionados por acidentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DAMASCENO, M.; CLARA GODOIS DE JESUZ, M.; FERREIRA NUNES, M.; TEIXEIRA TÂMARA, G.; MERI BRIGNOL GUTERRES, L. MAPEAMENTO DE LESÕES ARTICULARES EM PACIENTES DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO URCAMP. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.