ASSOCIAÇÃO ENTRE TESTES SIT-TO-STAND 30 SEGUNDOS E FORÇA DE PREENSÃO PALMAR EM PACIENTES CARDIOPATAS

  • Paula Somavilla
  • Viviane Bohrer Berni
  • Silvana Correa Matheus
  • Luisa Lovatto Dal Forno
  • Tamires Daros dos Santos
  • Isabella Martins de Albuquerque
Rótulo Reabilitação, Cirurgia, Cardíaca, Força, Preensão, Palmar

Resumo

Introdução: A disfunção muscular periférica é uma das complicações decorrentes da cirurgia de revascularização do miocárdio (CRM) que pode estar presente no pós operatório tardio. Dentro deste contexto, o teste sit-to-stand (STS) tem sido utilizado em programas de reabilitação cardíaca (PRC) para avaliação da resistência e força muscular periférica, assim como da tolerância ao exercício. Entretanto, a literatura carece de estudos no quais investiguem se há associação entre o STS de [30-seg] e a força de preensão palmar (FPP) em pacientes pós-CRM ingressantes em PRC. Objetivo: Investigar a possível associação entre o STS de [30-seg] com a FPP em pacientes submetidos à CRM ingressantes em um PRC (Fase II). Métodos: Trata-se de um estudo de delineamento transversal. O STS de [30-seg] teve início com o paciente sentado, após a posição foi modificada para o ortostatismo e sequencialmente para sedestação, sendo encorajado a completar o maior número de repetições durante 30 segundos, seguindo os princípios gerais recomendados pela American Thoracic Society. Para avaliação da FPP do membro superior direito (MSD) e do membro superior esquerdo (MSE) utilizou-se dinamometria mecânica manual (Takei T.K.K. 5001 Grip A Dynamometer, Japão). Para análise estatística foram utilizados o teste de normalidade de Shapiro-Wilk e o teste de correlação de Pearson (p<0,05). Resultados: A amostra do presente estudo foi composta por 22 sujeitos (59,10 ± 8,35 anos, 15 homens) pós-CRM ingressantes no PRC na Fase II. Os valores médios ± desvio padrão para o STS de [30-seg] foram de 11,14 ± 2,49 repetições. Considerando a FPP observou-se para o MSD 29,91 ± 10,50 KgF e para o MSE 24,67 ± 10,07 KgF. O número de repetições durante o STS de [30-seg] correlacionou-se positiva e moderadamente com a FPP do MSD (r=0,656; p<0,001) e com a FPP do MSE (r=0,540; p=0,009). Conclusão: Os resultados deste estudo sugerem que o teste STS de [30-seg] apresenta correlação com a FPP (MSD e MSE) em sujeitos pós-CRM ingressantes na Fase II de um PRC. Tais achados são relevantes clinicamente, pois são avaliações simples e de baixo custo, ainda pouco exploradas no contexto da reabilitação cardíaca.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SOMAVILLA, P.; BOHRER BERNI, V.; CORREA MATHEUS, S.; LOVATTO DAL FORNO, L.; DAROS DOS SANTOS, T.; MARTINS DE ALBUQUERQUE, I. ASSOCIAÇÃO ENTRE TESTES SIT-TO-STAND 30 SEGUNDOS E FORÇA DE PREENSÃO PALMAR EM PACIENTES CARDIOPATAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.