ANÁLISE METATRANSCRIPTÔMICA DE ORGANISMOS ASSOCIADOS A PRASIOLA CRISPA

  • Carlos Leher
  • Kimberli de Oliveira Moreira
  • Darlene Lopes Rangel
  • Paulo Marcos Pinto
  • Evelise Leis Carvalho
Rótulo RELAÇÃO, SIMBIÓTICA, METATRANSCRIPTOMICA, AMBIENTES, EXTREMOS

Resumo

Durante o seu desenvolvimento, as plantas são submetidas à diferentes estresses bióticos e abióticos. Sendo assim, estes organismos desenvolveram várias estratégias de sobrevivência para mitigar adversidades ambientais através de interações com microrganismos, incluindo bactérias, fungos e vírus que geralmente existem simbioticamente com plantas. As bactérias endofíticas tem funções importantes para a fisiologia das plantas, como atividade antibiótica, estimulação da produção de hormônios vegetais e aumento da imunidade, os quais promovem uma proteção extra às plantas, numa relação simbiótica. Prasiola crispa é uma macroalga verde taloide pertencente a classe Trebouxiophyceae, de distribuição biogeográfica cosmopolita. Na Antártica, P. crispa atua como importante produtor primário, resistindo a condições ambientais extremas como baixas temperaturas, radiação ultravioleta, estresso osmótico entre outros. Devido a sua capacidade de colonizar um ambiente tão inóspito, nós realizamos uma análise metatranscriptômica buscando identificar os mecanismos que possam estar diretamente relacionados com a sua sobrevivência. As reads do metatranscriptoma foram submetidas ao pipeline online de análise MG‑RAST com parâmetros padrão. Após a análise do controle de qualidade, foi identificado que 8% das sequencias contém genes RNA ribossomal, 26,46% das sequencias de proteínas com função conhecida e 65,43% das sequencias de proteínas com função desconhecida. A diversidade alfa deste conjunto de dados é de 428 espécies. Quanto a classificação taxonômica, 72,30% das sequencias do metatranscriptoma são do domínio Bacteria, 11,84% do metatranscriptoma contém genes do gênero Pedobacter, o gênero Pedobacter é composto por bactérias aeróbicas, Gram-negativas em formato de bastonete e são encontradas em todo o mundo incluindo regiões Árticas e Antárticas. Nossas descobertas fornecem uma base para futuros estudos sobre os mecanismos envolvidos com a capacidade de sobrevivência de P. crispa em um ambiente tão extremo como a Antártida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
LEHER, C.; DE OLIVEIRA MOREIRA, K.; LOPES RANGEL, D.; MARCOS PINTO, P.; LEIS CARVALHO, E. ANÁLISE METATRANSCRIPTÔMICA DE ORGANISMOS ASSOCIADOS A PRASIOLA CRISPA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.