AVALIAÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS DE SELÊNIO FRENTE A INTOXICAÇÃO POR MEHG

  • Caroline Lena
  • Eduarda Acunha Sheeren
  • Jeferson Villalba dos Santos
  • Daniel Henrique Roos
  • Simone Pinton
Rótulo Artêmia, salina, Compostos, organoselênio, MeHg, Toxicidade

Resumo

O metil mercúrio (MeHg) é um contaminante ambiental tóxico bioacumulativo, encontrado principalmente em peixes do topo da cadeia alimentar. A Artêmia salina (AS) é um microcrustáceo filtrador responsável pela transferência de metais pesados para peixes e outros crustáceos. Assim, esse trabalho busca avaliar os efeitos tóxicos do MeHg em AS, bem como analisar a capacidade de compostos orgânicos de selênio na prevenção e reversão da toxicidade induzida pelo MeHg. Como parâmetros de toxicologia, foram analisados: LC50 e testes de nado em campo aberto (tipo open field). O tratamento de reversão consistiu em expor as AS ao MeHg 7,5 µM durante 4h e após lavagem, expor as AS por mais 4h ao tratamento com o composto orgânico de selênio. No tratamento de prevenção foi realizado o processo inverso de tratamento, utilizando as mesmas concentrações. Resultados: A concentração de MeHg testada foi determinada a partir da LC50 de estudos anteriores no nosso laboratório. As LC50 de 24h dos compostos (83, 84 e 86), foram de: 31,52 µM para o composto 83; 39,67 µM para o composto 84; e para o composto 86 nenhuma concentração alcançou a LC50. A partir da determinação da LC50 verificamos a capacidade dos compostos em prevenir a letalidade induzida pelo MeHg 7,5 µM. Para tanto, incubamos por 24h as AS aos organosselênio compostos, após este período as AS foram lavadas e expostas ao MeHg durante 24h. Os resultados mostram que apenas o composto 86 10 µM, foi capaz de reduzir significativamente a mortalidade causada pelo MeHg. Assim, investigamos as propriedades do composto 86 na prevenção e ou reversão dos danos locomotores causados pelo MeHg 7 µM. As AS foram pré incubadas na presença do composto 86 por 4h, após este período foram lavadas e exposta ao MeHg durante 4h. O teste locomotor revelou que nenhuma concentração do composto 86 foi capaz de alterar a atividade de nado das AS per se. No entanto, o composto 86 na concentração de 10 µM preveniu significativamente os danos locomotores causados pelo MeHg. Para a reversão as AS foram primeiramente expostas ao MeHg por 4h e após lavagem incubadas com o composto 86 por mais 4h. Os dados mostram que o composto 86 apresentou uma reversão parcial no nado das AS nas concentrações de 1 e 10 µM, e um main effect igual a (F (5, 15) = 3,624. p = 0,0239). Dentre os compostos de organosselênio testados o composto 86 mostrou-se mais promissor, pois não apresentou toxicidade em nenhum dos testes analisados e foi capaz de prevenir e/ou reverter os efeitos tóxicos causados pelo MeHg na viabilidade e na atividade locomotora das AS. Este efeito é possivelmente atribuído a sua capacidade antioxidante já mostrada em alguns trabalhos da literatura, sendo necessário estudos aprofundados para elucidação de seus mecanismos observados perante exposição ao MeHg em AS.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
LENA, C.; ACUNHA SHEEREN, E.; VILLALBA DOS SANTOS, J.; HENRIQUE ROOS, D.; PINTON, S. AVALIAÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS DE SELÊNIO FRENTE A INTOXICAÇÃO POR MEHG. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.