POSSÍVEL ENVOLVIMENTO DO SISTEMA DOPAMINÉRGICO NA TOXICIDADE DO METILMERCÚRIO EM Drosophila melanogaster: RESULTADOS PRELIMINARES

  • João Sousa
  • Luiz Felipe Windberg Soares Junior
  • Daiana Muniz dos Santos
  • Maria Andriele Dória de Souza
  • Robson Luiz Puntel
  • Matheus Chimelo Bianchini
Rótulo Dopamina, organomercuriais, grooming, ansiedade, tirosina, hidroxilase

Resumo

Introdução: O mercúrio (Hg) é um poluente ambiental o qual se apresenta bastante presente em rios. Por conta de sua elevada toxicidade, este metal é considerado um dos mais perigosos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) devido à frequente exposição humana referente ao consumo frutos-do-mar contaminados com metilmercúrio (MeHg). O metilmercúrio é um composto organometálico o qual se apresenta bastante tóxico a mamíferos e não mamíferos. Estudos anteriores relacionaram a exposição a este composto organomercurial como estopim para desencadear diversas desordens a nível sistêmico, induzindo citotoxicidade, neurotoxicidade, alterações comportamentais, entre outros. Particularmente importante, vários mecanismos de organomercurais já foram descritos, mas não completamente elucidados. Objetivos: Considerando a importância de um melhor conhecimento sobre como este composto exerce sua toxicidade, o objetivo deste estudo foi de investigar os efeitos do MeHg sobre a atividade da enzima tirosina hidroxilase (TH), assim como sobre parâmetros comportamentais utilizando a mosca-da-fruta Drosophila melanogaster como modelo experimental. Materiais e métodos: Para os testes 50 moscas de ambos os sexos (1-3 dias após a eclosão) foram divididas em 3 grupos (Controle, MeHg 25μM e MeHg 50 μM) e expostas durante 96 horas. Após o período de tratamento, foi feito um ensaio bioquímico para avaliar a atividade da TH nas cabeças (enzima responsável pela conversão do aminoácido tirosina em L-DOPA, precursor da dopamina) e um comportamental para analisar eventos de grooming (teste que tem sido utilizado para avaliar comportamento ansioso em insetos) das moscas. Resultados e discussão: Os resultados dos ensaios bioquímicos e comportamental oram analisados utilizando ANOVA de uma via seguido do ós teste de Dunnett's. Os dados obtidos mostraram que houve diminuição significativa na atividade da TH no grupo MeHg 50μM em relação ao grupo Controle. Também foram observados aumentos significativos tanto no número de episódios, quanto no tempo de cada evento de grooming. Reduções na atividade da enzima TH foram relatadas em outros trabalhos com compostos mercuriais, como o Timerosal (TIM), por conta de sua alta afinidade com grupamentos tióis. Neste mesmo estudo, a inibição enzimática da TH foi acompanhada por redução nos níveis de dopamina (DA), provavelmente devido à baixa conversão do aminoácido tirosina em L-DOPA. Sabe-se que DA é um neurotransmissor modulador de episódios de grooming em insetos, e estes dependem do estímulo da DA sobre seu respectivo receptor. Sendo assim, alterações no sistema dopaminérgico podem acarretar em disfunções comportamentais, como foram observadas neste trabalho. Conclusão: Levando em conta os resultados obtidos, os mesmos sugerem que a exposição ao MeHg resulta em desbalanço dopaminérgico em D. melanogaster, induzindo alteração comportamental relacionada a ansiedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SOUSA, J.; FELIPE WINDBERG SOARES JUNIOR, L.; MUNIZ DOS SANTOS, D.; ANDRIELE DÓRIA DE SOUZA, M.; LUIZ PUNTEL, R.; CHIMELO BIANCHINI, M. POSSÍVEL ENVOLVIMENTO DO SISTEMA DOPAMINÉRGICO NA TOXICIDADE DO METILMERCÚRIO EM Drosophila melanogaster: RESULTADOS PRELIMINARES. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.