EFEITO DO TREINAMENTO AERÓBICO SOBRE A TOLERÂNCIA À GLICOSE DE RATOS PREVIAMENTE TRATADOS COM FRUTOSE

  • Adson Pereira
  • Bruno Henrique Nieswald
  • Jozyê Milena da Silva Guerra
  • Jeferson Luis Rodrigues Salvador
  • Karoline De Santana
  • Leonardo Magno Rambo
Rótulo Metabolismo, exercício, físico, frutose

Resumo

O índice de pessoas com problemas de saúde causados pelo sobrepeso tem chamado a atenção das pesquisas científicas no mundo. Estudos realizados no Brasil pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2014), apontam que mais da metade da população brasileira com idade acima de 20 anos apresenta sobrepeso. Uma das possíveis causas desse problema é o aumento na oferta produtos alimentícios industrializados que possuem altos níveis de frutose (Gaino; Silva, 2011), causando obesidade e intolerância à glicose. O exercício físico aeróbico pode auxiliar no tratamento das deficiências no metabolismo (Di Meo et al., 2017), devido ao aumento na absorção da glicose no músculo esquelético. Assim, o presente estudo buscou avaliar o efeito de seis semanas de treinamento físico aeróbico sobre as alterações na tolerância à glicose após ingestão crônica de frutose em ratos. Foram utilizados 24 ratos adultos Wistar, mantidos em ambiente apropriado com humidade e temperatura controladas. Os animais foram divididos aleatoriamente em 4 grupos, sendo eles: Grupo 1 (sedentário); Grupo 2 (sedentário + frutose); Grupo 3 (treinamento); Grupo 4 (treinamento + frutose). O tratamento com frutose consistiu na solução de frutose 15% na água de beber. Os animais receberam a solução durante 10 semanas (Agrawal et al., 2016). O treinamento aeróbico utilizado foi de natação (Souza et al., 2009). Inicialmente, os animais foram submetidos uma semana de adaptação. Após isso foram realizadas seções diárias com duração de 60min, 5 vezes por semana, durante 5 semanas. O teste de tolerância à glicose (TTG) foi utilizado para avaliar o nível de glicemia dos animais, usando uma gota de sangue coletada da veia caudal em diferentes períodos de tempo (AGRAWAL et al. 2016). Após o último TTG, os animais foram eutanasiados para coletar o tecido adiposo visceral e o músculo sóleo, pesados logo em sequência. No TTG pré treinamento os grupos tratados com frutose (2 e 4) apontaram níveis de glicemia maiores, na coleta de 120min, comparados aos grupos que receberam apenas água (1 e 3). O TTG pós treinamento indicou que o Grupo 2 ao longo do tempo teve níveis menores que os demais grupos. Notou-se também, nos tempos 90min e 120min, que os grupos 3 e 4 tiveram valores menores que os grupos 1 e 2. Os dados de massa corporal e massa de gordura visceral dos animais demonstraram que os grupos treinados tiveram valores menores que os grupos sedentários. Além disso na relação entre a massa dos músculos sóleo e a massa corporal, foi demonstrado que os grupos treinados possuíam valores maiores que os demais grupos. O efeito do treinamento de natação sobre as alterações na tolerância à glicose induzida pelo tratamento crônico com frutose em ratos foi positivo, sugerindo uma reversão dos mesmos. Atuando também na prevenção do ganho de massa corporal e de gordura visceral, e promover aumento da massa magra.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
PEREIRA, A.; HENRIQUE NIESWALD, B.; MILENA DA SILVA GUERRA, J.; LUIS RODRIGUES SALVADOR, J.; DE SANTANA, K.; MAGNO RAMBO, L. EFEITO DO TREINAMENTO AERÓBICO SOBRE A TOLERÂNCIA À GLICOSE DE RATOS PREVIAMENTE TRATADOS COM FRUTOSE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.