EPIDEMIOLOGIA DA LEISHMANIOSE NA ZONA RURAL DE URUGUAIANA

  • Thália dos Santos
  • Gabriela Dowich
  • Taiane Acunha Escobar
  • Claudia Acosta Duarte
  • Irina Lubeck
Rótulo leishmaniose, epidemiologia, PCR, hospedeiros, zona, rural

Resumo

A leishmaniose é uma zoonose causada por protozoários do gênero Leishmania, e sua transmissão acontece através de flebotomíneos da espécie Lutzomyia longipalpis. A presença do vetor, possíveis hospedeiros, matéria orgânica e vegetação são os principais fatores para a ocorrência de casos de positivos. A Região Oeste do Rio Grande do Sul tem um papel importante na epidemiologia da doença porque já existem casos confirmados em humanos e animais, sendo o município de Uruguaiana um local endêmico para Leishmaniose Visceral Canina. O objetivo do trabalho foi analisar possíveis fatores que acarretam no avanço no número de casos de Leishmaniose na Região Oeste do Rio Grande do Sul. A pesquisa tem aprovação pela Comissão de Ética no Uso de Animais - CEUA da UNIPAMPA com o número de protocolo 031/2017. Aplicou-se formulários epidemiológicos, foram realizados exames clínicos e coleta do material biológico de 113 animais, 22 cães e 91 equinos em 9 propriedades rurais em torno do município de Uruguaiana - Região Oeste do Rio Grande do Sul. A detecção do material genético de Leishmania sp. foi realizada através da técnica de Reação em Cadeia da Polimerase Convencional (PCR), utilizando primers do Complexo Leishmania donovani. As propriedades analisadas possuíam diferentes finalidades, como: pecuária de corte, criação de equinos e plantações, e próximas de barragens, rios e lagos. Em quatro delas, foi observado a presença de matéria orgânica no solo próximo aos cães, e abundância de vegetação, e apenas uma tinha coleta de lixo e realizava vacinação dos animais. Tais características sanitárias acarretam na atração e permanência do vetor, favorecendo a ocorrência de leishmaniose nestes locais. Das 113 amostras, 8 foram positivas no PCR, 7 equinos e 1 cão, e não foram observadas alterações clínicas nos animais. Os animais positivos pertenciam a duas propriedades ao sudeste do município, próximo da rodovia BR 472, e com condições epidemiológicas semelhantes e presença de outros animais, como felinos e ovinos. Com isso, as nove propriedades analisadas apresentaram sinais de risco para ocorrência da enfermidade. Posteriormente, deve-se investigar a possível procedência dos casos positivos, já que o município Uruguaiana e endêmico, e essa enfermidade possui um grande impacto na saúde pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DOS SANTOS, T.; DOWICH, G.; ACUNHA ESCOBAR, T.; ACOSTA DUARTE, C.; LUBECK, I. EPIDEMIOLOGIA DA LEISHMANIOSE NA ZONA RURAL DE URUGUAIANA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.