FUNGOS MICORRÍZICOS DE PINUS E SUA DISTRIBUIÇÃO EM UM GRADIENTE LONGITUDINAL NO RS

  • Ana Klotz
  • Marines de Avila Heberle
  • Fernando Augusto Bertazzo da Silva
  • Lilian Pedroso Maggio
  • Marina de Souza Falcão
  • Jair Putzke
Rótulo taxonomia, habitat, micorrizas, exótico

Resumo

A associação simbiótica que ocorre entre fungos e plantas do gênero Pinus é denominada micorriza.  Além da proteção contra o stress hídrico e salino, o fungo é responsável por fornecer à planta água e nutrientes presentes no solo. O vegetal, por sua vez, provê açúcares ao fungo. Essa associação é de caráter obrigatório para o Pinus, árvore que vem sendo plantada no Brasil há mais de um século, sido trazida por imigrantes com a finalidade de ornamentação e produção de madeira.  As áreas reflorestadas pelo gênero no Brasil correspondem a mais de 1,6 mi de ha, estando entre uma das principais culturas para a silvicultura nos trópicos, porém também configura um dos principais e mais problemáticos invasores exóticos do planeta. Há registros de sua invasão em quase todos os continentes. No Brasil, o gênero tem se alastrado e invadido até mesmo unidades de conservação. Uma vez sabendo da obrigatoriedade da relação simbiótica entre micorrizas e Pinus, conhecer quais fungos estão associados a este gênero é essencial, dado que o sucesso do mesmo como invasor pode estar relacionado a esta associação.  Dessa forma, o trabalho tem como objetivo realizar um levantamento das micorrizas associados ao Pinus ao longo de um transecto que corta o estado do RSl longitudinalmente. A área de estudo escolhida é a BR290, visto que se apresentam ao longo desta, diversas populações de Pinus não plantadas. As coletas foram feitas a cada 20 km, totalizando nove pontos de coleta até o momento. O método de coleta utilizado é o de caminhamento, onde pelo período de 30 minutos, todos os cogumelos encontrados são coletados. As amostras são transportadas até o Núcleo de Estudos da Vegetação Antártica, onde o material é desidratado em estufa. Para análise das estruturas microscópicas, os espécimes foram reidratados com KOH 5% e cortes a mão livre foram feitos para a confecção de lâminas. Os resultados preliminares mostram que os fungos encontrados em associação com o Pinus pertencem aos gêneros Russula, Lactarius, Suillus, Laccaria, Ramaria e Scleroderma. Chaves de identificação foram utilizadas para determinar as espécies, no entanto três espécimes coletados do gênero Russula não fecharam com nenhuma das espécies conhecidas para o Brasil. Estas representam citações novas para o Brasil. Um exemplar de Laccaria amethystina  também foi amostrado, sendo este o primeiro registro da espécie para o estado. Também foi encontrado um espécime de Laccaria fraterna crescendo em associação com o Pinus. Esta é uma observação curiosa, pois esta espécie tradicionalmente é conhecida como micorrízica apenas do gênero Eucalyptus. Apesar destes serem gêneros já conhecidos como micorrízicos para o Pinus, os resultados mostram que ainda há muito a ser avaliado, e que estas espécies estão aumentando no Brasil, por introdução a partir de outros países e podem inclusive migrar para áreas nativas, afetando a comunidade nativa. Medidas de controle devem ser tomadas para evitar este impacto sobre o ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
KLOTZ, A.; DE AVILA HEBERLE, M.; AUGUSTO BERTAZZO DA SILVA, F.; PEDROSO MAGGIO, L.; DE SOUZA FALCÃO, M.; PUTZKE, J. FUNGOS MICORRÍZICOS DE PINUS E SUA DISTRIBUIÇÃO EM UM GRADIENTE LONGITUDINAL NO RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.