LEVANTAMENTO DE ESPÉCIES ASSOCIADAS A DESCHAMPSIA ANTARCTICA DESV.

  • Lilian Maggio
  • Fernando Augusto Bertazzo da Silva
  • Ana Luiza Klotz
  • Marina de Souza Falcão
  • Fabiele Rosa Pires
  • Jair Putzke
Rótulo Continente, micro-habitat, gramínea

Resumo

O continente antártico é considerado o ecossistema mais severo do mundo, sendo o mais frio, o mais ventoso e seco do planeta (Convey, 2011), além de ser o mais remoto, o mais desconhecido e o mais preservado de todos os continentes (Bianchini et al., 2006). Todas as terras (cobertas ou não por gelo) localizadas abaixo do paralelo 60°S são parte da Antarctica, o que inclui o continente, as ilhas Sub-Antárticas e grande parte do Oceano Glacial Antártico (Ugolini & Bockheim, 2007). O continente apresenta uma área de aproximadamente 14 milhões de km², sendo em sua grande maioria coberta permanentemente por um manto de gelo de 2,1 km de espessura média, representando cerca de 90% do gelo do mundo (Campbell & Claridge, 1988). Apesar das condições climáticas extremas nesse bioma, diversos estudos vem sendo conduzidos com os mais diversos organismos, como protistas, bactérias, fungos, animais, briófitas e plantas (Rosa et al., 2009). Na Antarctica, apenas duas fanerógamas são encontradas, a Deschampsia antarctica Desv. (Poaceae) e Colobanthus quitensis (Kunth.) Bartl. (Caryophyllaceae), ambas comumente são encontradas associadas a outras espécies. Diante disto, o trabalho tem por objetivo realizar um levantamento de estudos de espécies associadas a D. antarctica, no sentido de descrever o micro-habitat em seu entorno. Este é um estudo de levantamento, onde foram utilizados plataformas de busca, como PUBMED, SCOPUS, WEB OF SCINCE e GOOGLE ACADÊMICO, utilizando como busca as palavras-chave: Deschampsia antarctica, espécies associadas e micro-habitat. Os resultados mostram que nas comunidades vegetais das ilhas antárticas, D. antarctica cresce associada a espécies de musgos, liquens como Usnea antarctica Du Rietz, Cladonia sp, e C. quitensis. No entanto, a maioria das associações que ocorrem com D. antarctica dá-se com espécies de musgos, como exemplos Sanionia uncinata (Hedw.) Loeske e Polytrichum juniperinum Willd. ex Hedw. Assim, pode-se considerar que essa fanerógama apenas ocorre associada a outras espécies.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
MAGGIO, L.; AUGUSTO BERTAZZO DA SILVA, F.; LUIZA KLOTZ, A.; DE SOUZA FALCÃO, M.; ROSA PIRES, F.; PUTZKE, J. LEVANTAMENTO DE ESPÉCIES ASSOCIADAS A DESCHAMPSIA ANTARCTICA DESV. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.