INFLUÊNCIA DE ARMADILHAS DE MONITORAMENTO DE INSETOS NO CRESCIMENTO DE ALFACE, COUVE E CEBOLINHA VERDE

  • Laura de Avila
  • Simone Braga Terra
Rótulo Insetos, Monitoramento, Armadilhas, MIP

Resumo

O município de Santana do Livramento, RS, possui alguns produtores comerciais de hortaliças, tanto na zona urbana quanto rural, que suprem parte da demanda local por folhosas, como couve (Brassica oleracea), alface (Lactuca sativa) e cebolinha verde (Allium fistulosum). São, em sua maioria, produtores em sistemas convencionais, que buscam a transição para a agricultura orgânica, visando o cultivo sem a utilização de adubos químicos nem agrotóxicos, agregando segurança alimentar ao consumidor e evitando contaminações ambientais. Porém, um dos principais entraves para a transição da agricultura convencional para a orgânica está relacionado ao processo de racionalização e substituição dos insumos convencionais por práticas e técnicas alternativas aplicadas ao manejo fitossanitário dos cultivos. Uma estratégia eficiente para o monitoramento de insetos considerados pragas em hortas comerciais, é a utilização de armadilhas adesivas coloridas (azul e amarela), luminosas e delta com feromônio atrativo, buscando a manutenção das populações de pragas sempre em níveis abaixo daqueles que causam danos econômicos. O objetivo da pesquisa foi avaliar a influência de armadilhas de monitoramento de pragas no crescimento de alface, couve e cebolinha verde em uma unidade de produção agrícola convencional situada em Santana do Livramento. Foram testados cinco tratamentos com 12 repetições, sendo: T1 - armadilha delta de feromônio com piso adesivo, T2 - armadilha luminosa com luz de LED, T3 - armadilha adesiva azul, T4 - armadilha adesiva amarela, T5 técnica da batida de pano. As variáveis de crescimento mensuradas foram altura de plantas e número de folhas. Observou-se que não ocorreram diferenças estatísticas na altura de plantas para a alface nem para cebolinha verde, apresentando uma variação de altura final entre 18,75 cm (T5) até 19,25 cm (T3), e entre 23,12 cm (T1) a 23,45 cm (T4), respectivamente para alface e cebolinha verde. A cultura da couve apresentou diferença significativa, com alturas finais entre 57,33 cm (T3) e 61,04 (T5). O mesmo ocorreu para a variável número de folhas, onde a alface variou entre 23,75 (T3) e 24,50 folhas (T2), a cebolinha verde entre 7,25 (T3) e 9,08 folhas (T1) e a couve entre 23,26 (T3) e 20,41 folhas (T5). Todas as hortaliças folhosas estavam dentro dos padrões de crescimento citados na literatura (TRANI et al., 2006; HEREDIA ZÁRATE et al., 2005), podendo-se supor que o uso de armadilhas para monitoramento mostrou-se eficientes na captura de insetos, não influenciando negativamente o crescimento das hortaliças da pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DE AVILA, L.; BRAGA TERRA, S. INFLUÊNCIA DE ARMADILHAS DE MONITORAMENTO DE INSETOS NO CRESCIMENTO DE ALFACE, COUVE E CEBOLINHA VERDE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.