ABSCISÃO DE FRUTOS E FRUTIFICAÇÃO EFETIVA DE PESSEGUEIROS

  • Ariane Marques
  • Roseli de Melo Farias
Rótulo Prunus, persica, frutíferas, caroço, produtividade

Resumo

As frutas de clima temperado estão ganhando espaço cada vez mais no mercado consumidor, sendo assim, o interesse pelo aumento da produtividade e a produção de frutos com qualidade. O pessegueiro apresenta elevada frutificação efetiva que proporciona às plantas quantidade excessiva de frutos, ocasionando frutos pequenos e de baixo valor comercial. O objetivo desse trabalho foi avaliar a frutificação efetiva e a abscisão de frutos de pessegueiros das cultivares BRS Âmbar e Maciel no município de Santana do Livramento, Rio Grande do Sul. O trabalho foi conduzido durante a safra 2019 em um pomar de pessegueiros das cultivares BRS Âmbar e Maciel, enxertados sobre o porta-enxerto Capdeboscq, conduzidos em sistema de vaso e espaçamento entre linhas de 5 metros e entre plantas de 2 metros, totalizando uma densidade de 1000 plantas ha-1. O delineamento experimental foi inteiramente casualizados com cinco plantas por unidade experimental. As variáveis analisadas foram a densidade de gemas floríferas e vegetativas (gemas cm-1), onde em cada planta de pessegueiro foram marcados um ramos em cada quadrante previamente selecionados aleatoriamente, determinado o comprimento do ramo (cm) e o número total de gemas floríferas e vegetativas por ramo. A abscisão dos frutos (%), contou-se o pegamento do número de frutos aos 30 dias após a floração (DAPF) e aos 60 DAPF. A frutificação efetiva (%) foi avaliada em relação ao número de flores na plena floração e o número de frutos aos 60 DAPF. A plena floração dos pessegueiros ocorreu no dia 22 de julho para cultivar BRS Âmbar e no dia 27 de julho para cultivar Maciel. A densidade de gemas para cultivar BRS Âmbar foi de 0,65 gemas cm-1, e para cultivar Maciel de 0,55 gemas cm -1.. Verificou-se elevada frutificação efetiva nas cultivares BRS Âmbar e Maciel, sendo 27,69% e 26,02% respectivamente, enquanto observou-se baixa abscisão dos frutos, sendo 48,71% e 45,54% respectivamente. Esta condição associada a boa uniformidade de floração nas plantas contribuiu para que as flores remanescentes formassem efetivamente frutos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
MARQUES, A.; DE MELO FARIAS, R. ABSCISÃO DE FRUTOS E FRUTIFICAÇÃO EFETIVA DE PESSEGUEIROS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.