QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE AVEIA UCRANIANA COMERCIALIZADAS EM ITAQUI - RS

  • Eliezer dos Santos
  • Matheus de Lima Soares
  • João Vitor Liscano Gomes
  • Luciane Cortes Jornada
  • Matheus Noronha Bittencourt
  • Guilherme Ribeiro
Rótulo Sementes, procedência, piratas, Teste, germinação

Resumo

A utilização de semente de aveia branca, como a aveia ucraniana, não é apenas um grão que germina, e sim o resultado do melhoramento genético que envolve anos de pesquisas e testes. Para garantir o sucesso do sistema, é necessário o uso de sementes com alto vigor garantindo uma homogeneidade da população, característica nem sempre atendida devido ao frequente uso de sementes fora da legislação. O objetivo deste trabalho foi avaliar a germinação e parâmetros de vigor de sementes de aveia branca (aveia ucraniana) comercializadas em Itaqui RS. Primeiramente, foram obtidas amostras de sementes de aveia branca, comercializadas como aveia ucraniana, em seis estabelecimentos comerciantes na cidade de Itaqui RS. O trabalho foi realizado no laboratório de sementes do curso de agronomia, utilizando oito tratamentos: sendo as seis amostras (A) de aveia ucraniana e mais duas testemunhas, uma cultivar e uma linhagem, IPR Esmeralda (T1) e UFRGS 1607001-4 (T2), respectivamente. O teste de germinação foi realizado de acordo com os princípios estabelecidos pelas Regras de Análise de Sementes RAS. Utilizando oito tratamentos divididos em quatro repetições com 50 sementes, a semeadura foi realizada em papel germitest umedecidos com água destilada na proporção de 2,5 vezes a massa do papel, posteriormente foi conduzida ao germinador em temperatura de 22º C onde ficaram por 10 dias. As variáveis analisadas foram: germinação (G, em %): contagem final das sementes germinadas aos dez dias; comprimento médio de raiz (CR, em cm) e comprimento médio da parte aérea (CPA, em cm): medição do comprimento de raiz e da parte aérea de dez plântulas ao acaso; massa fresca de raiz (MFR, em g) e massa fresca de parte aérea (MFMP, em g): pesagem das raízes e da parte aérea das dez plantas avaliadas. Os dados coletados foram submetidos à análise de variância e posterior comparação de médias utilizando o programa computacional genes. Com base nos resultados obtidos, na variável porcentagem de germinação, o tratamento oito (A8), as testemunhas T2 e T1 apresentaram os maiores valores, 95,5; 92,5 e 92%, respectivamente; diferindo dos tratamentos A3 (G: 86,5%) e A4 (G: 82%). Já dos demais tratamentos apresentaram germinação menor que 80%, fora das normas de legislação para comercialização de sementes. Para todas as outras variáveis analisadas: CR, CPA, MFR, e MFPA, o tratamento oito (A8) que apresentou desempenho superior as testemunhas. Portando de acordo com os dados analisados verifica-se que o tratamento oito (A8), mesmo não sendo uma semente legal, sem origem ou procedência, apresentou alta qualidade, com elevada germinação e qualidade fisiológica. Destacasse, mesmo que a amostra de semente de aveia ucraniana (A8) tenha apresentado alta qualidade as mesmas não podem ser comercializadas por não estarem inscritas no registro nacional de cultivares, ou seja, as mesmas são consideradas ilegais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
DOS SANTOS, E.; DE LIMA SOARES, M.; VITOR LISCANO GOMES, J.; CORTES JORNADA, L.; NORONHA BITTENCOURT, M.; RIBEIRO, G. QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE AVEIA UCRANIANA COMERCIALIZADAS EM ITAQUI - RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.