CALDAS ORGÂNICAS NO CONTROLE PREVENTIVO DO MÍLDIO EM VIDEIRAS DAS CULTIVARES SYRAH E TANNAT

  • Andrea Machado
  • Cibele Duarte
  • Roseli de Mello Farias
  • Laura Gonella
Rótulo Plasmopara, vitícola, caldas, orgânicas, campanha, gaúcha

Resumo

A vitivinicultura vem se destacando na região da Campanha gaúcha devido às condições edafoclimáticas favoráveis para o cultivo de uvas de qualidade, proporcionando um terroir especial para a elaboração de vinhos e espumantes. Uma das dificuldades na vitivinicultura são os problemas fitossanitários, se não controlados podem trazer sérios prejuízos econômicos. A principal doença fúngica que afeta a videira nesta região é o míldio (Plasmopara viticola), causando grandes perdas na produção e ocasionando custos elevados para o controle da doença, levando a utilização de grandes quantidades de produtos químicos. Sendo assim, esse trabalho teve como objetivo avaliar métodos alternativos para o controle preventivo do míldio em videiras 'Tannat' e Syrahutilizando caldas orgânicas. O experimento foi desenvolvido durante a safra de 2018/2019 na localidade da região da Vigia, no município de Santana do Livramento, Rio Grande do Sul. Utilizou-se as variedades de uva Tannat e Syrah enxertada sobre o porta-enxerto Gravessac, implantada no ano de 2015, conduzida em sistema de espaldeira e o espaçamento entre linhas de 2,5 metros e entre plantas de 1,5 metros, totalizando em densidade de 450 plantas ha-1. As caldas orgânicas foram preparadas no laboratório da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, de acordo com a metodologia de Maroneze, Gallegos (2009). Os tratamentos realizados nas plantas de videiras consistiram na aplicação de caldas orgânicas de camomila, cavalinha, alho, gengibre, capim-limão e calda bordalesa, além das plantas testemunhas que seguiram o método convencional utilizado pelo produtor. Foram realizadas treze aplicações de caldas nas videiras durante o período vegetativo em plantas pré selecionadas no pomar. Os tratos culturais como adubação, podas e controle de plantas espontâneas, foram realizados no pomar a critério do produtor. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com quatro repetições de uma planta. Avaliou-se a incidência e a severidade de míldio, altura da planta, diâmetro do porta-enxerto e do caule, números de folhas e de cachos. Em todo período vegetativo não houve incidência significativa de míldio nas videiras. As plantas de Tannat que receberam a calda de capim-limão obtiveram um desenvolvimento vegetativo superior em comparação a aplicação com as demais caldas, enquanto a Syrah, a calda que demonstrou mais eficiência foi a camomila. Em relação ao número de folhas e cachos, as videiras não obtiveram diferenças significativas. A aplicação de caldas orgânicas em videiras controlaram preventivamente a incidência de míldio.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
MACHADO, A.; DUARTE, C.; DE MELLO FARIAS, R.; GONELLA, L. CALDAS ORGÂNICAS NO CONTROLE PREVENTIVO DO MÍLDIO EM VIDEIRAS DAS CULTIVARES SYRAH E TANNAT. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.