RELAÇÃO ENTRE ATRIBUTOS PEDOGENÉTICOS E MOSTO EM UMA TOPOSSEQUÊNCIA SOB VINHEDO NA CAMPANHA GAÚCHA

  • Daniel Manriquez
  • Daniel Ernesto Trujillo Manriquez
  • Daniel Hanke
  • Shirley Grazieli Da Silva Nascimento
  • Marcos Gabbardo
Rótulo cabernet, sauvignon, –, terroir, vinho, fertilidade, solo, argissolo, Bioma, Pam

Resumo

A relação entre os atributos de solo e as características da uva e vinho ainda é pouco compreendida. Estudos com esse foco são pouco comuns e podem ajudar a elucidar a influência do solo sobre o Terroir do vinho. O objetivo desse trabalho foi investigar a relação entre atributos de solo e de mostos de uva vinífera na região da Campanha Gaúcha. O vinhedo avaliado está localizado na Vinícola Almadén (Sant`Ana do Livramento/RS), sendo constituído de uvas viníferas (cabernet sauvignon). O solo foi classificado como Argilssolo Vermelho Distrófico arênico. Foram escolhidos cinco diferentes pontos no vinhedo. Em cada ponto foram coletadas amostras de solo (até 1,0 m) e de uva (seis plantas por ponto). Foram determinados os seguintes atributos de solo: i) atributos químicos e físico químicos (teores Ca+2, Mg+2, K+, P, H+, Al+3, Cu+2, Mn+4, Zn+2, B, teores de C e N, pH H2O e em SMP) e; ii) atributos físicos (granulometria, capacidade de retenção de água (CRA), resistência a penetração e densidade do solo). No mosto foram determinados os seguintes atributos: densidade; açúcares redutores; pH; acidez total; ácido tartárico, málico e glucônico; amônia e K+ solúvel. Os dados foram submetidos à análise de regressão linear e análise de correlação canônica. A seguir são apresentadas algumas correlações significativas e sua respectiva discussão: i) pH H2O (solo) e pH do mosto (negativa; y = -0,3641x + 5,188; R2=0,89 e p<0,05). O pH indica a capacidade de ionização do mosto e, no geral, deve permanecer abaixo de 3,5, uma vez que valores elevados podem resultar em desestruturação da estabilidade do mosto (capacidade de oxidação) e em perda de qualidades organolépticas e visuais do produto ; ii) teor de K+ trocável do solo e a concentração de K+ no mosto (positiva; y = 0,0054x + 1194; R2=0,98 e p<0,001). Essa correlação era esperada, uma vez que a concentração de K+ no mosto é dependente da disponibilidade de K+ nos complexos de troca dos coloides do solo; iii) CRA e concentração de açúcar redutor no mosto (negativa; y = -0,4729x + 186,23; R2=0,92 e p<0,01). Esse fato é, possivelmente, associado ao aumento da concentração de açúcares sob condições de maior estresse hídrico; iv) combinação canônica linear entre as bases trocáveis (Ca+2, Mg+2 e K+) e a concentração de ácido tartárico, sendo que o K+ foi a base mais expressiva para explicar a concentração desse ácido no mosto (R2 canônico=0,99; p 0,05; correlação entre a variável canônica e as bases trocáveis = -0,1566; -0,0891 e -0,8882 para Ca+2, Mg+2 e K+, respectivamente). Sob condições de altas concentrações de K+ pode ocorrer uma troca estequiométrica dos prótons do ácido tartárico e do K+ solúvel, levando a formação de bitartarato de K e decréscimo da concentração do ácido. Nesse estudo foi possível observar que, mesmo em pequenas áreas sem variação de clima e das condições de manejo, podem ocorrer substanciais variações dos atributos de solo que resultam em alterações da composição do mosto.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
MANRIQUEZ, D.; ERNESTO TRUJILLO MANRIQUEZ, D.; HANKE, D.; GRAZIELI DA SILVA NASCIMENTO, S.; GABBARDO, M. RELAÇÃO ENTRE ATRIBUTOS PEDOGENÉTICOS E MOSTO EM UMA TOPOSSEQUÊNCIA SOB VINHEDO NA CAMPANHA GAÚCHA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.