COMPARAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA PREPARAÇÃO DE DADOS ESPACIAIS PARA O MODELO SWAT

  • Cassiane Bariani
  • Roberto Dutra de Felice
  • Juliomar Sousa Santos
  • Daniela Vargas Calegaro
  • Nelson Mario Victoria Bariani
Rótulo Google, Earth, SPRING-GIS, QGIS, Land, Viewer, Planet

Resumo

Os modelos que simulam os principais processos físico-químicos que acontecem em bacias hidrográficas envolvem variáveis climáticas, hidrológicas (água, solo e atmosfera), de nutrientes, pesticidas, bactérias, sedimentos, crescimento das plantas, uso e manejo do solo e da água. Uma parte importante dos dados variam no espaço (localização) e no tempo (época do ano), sendo preparados com ferramentas de geoprocessamento, cujas características, no entanto, estão em processo de inovação, o que justifica uma análise comparativa das mesmas. O trabalho objetivou preparar os dados espaciais de entrada adequados para a Ferramenta de Avaliação de Água e Solo (SWAT), para duas bacias próximas à cidade de Itaqui, RS, a do Arroio Olaria e a do Arroio Cambaí. Foram utilizados o SPRING-SIG do INPE, o QGIS, ferramentas da Google (G. Earth, G. Earth Engine, G. Maps) e duas plataformas privadas (LandViewer e Planet). O modelo digital de elevação SRTM e imagens de satélites ou produtos derivados para análise do uso do solo foram utilizados. Foi executado o desenho vetorial dos limites de bacias e sub-bacias, da rede de drenagem, incluindo os canais de escoamento superficial e cursos principais, assim como dos pontos de entrada e saída e unidades de paisagem (banhados, lagoas e reservatórios). Também foi analisada a obtenção de mapas de uso do solo em ao menos duas épocas do ano. Como critérios de avaliação foram considerados o tempo de execução da tarefa e o tempo de aprendizado dos operadores (acadêmicos e professores). O Spring-Gis e o QGis apresentaram ferramentas internas para desenho da rede de drenagem, sendo necessária a importação e recorte do modelo digital de elevação (DEM) da região e imagens de satélite, o que aumentou o tempo de processamento; o QGis apresentou um aditivo (plug-in), o QSWAT, preparado para produzir e fornecer mapas compatíveis com o modelo. As ferramentas da Google, particularmente o trabalho online no G. Maps associado com o G. Earth permitiram o trabalho simultâneo participativo para criação ou ajuste de limites e rede de drenagem; complementarmente, a plataforma G. Earth Engine, por meio de programas adaptados à região, em linguagem JAVA, permitiu a rápida visualização e classificação do uso do solo nas bacias, com imagens dos satélites/sensores Landsat, Sentinel, MODIS, se adaptando bem às necessidades, com a grande vantagem da disponibilidade online das imagens de satélite e ambiente de programação e visualização já estarem disponíveis online, mas tendo a barreira da programação. Os ambientes do LandViewer e da Planet apresentaram boa facilidade de uso, e ótimo acesso às imagens, porém podendo ter custos para uso extensivo. Como resultado, foram obtidos os mapas em formato vetorial e raster nas diferentes plataformas, para as duas bacias hidrográficas.Os ambientes desktop demandaram mais tempo (fator de 10) porém permitem adaptação direta ao programa SWAT, enquanto os ambientes online foram mais eficientes, porém com restrições.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
BARIANI, C.; DUTRA DE FELICE, R.; SOUSA SANTOS, J.; VARGAS CALEGARO, D.; MARIO VICTORIA BARIANI, N. COMPARAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA PREPARAÇÃO DE DADOS ESPACIAIS PARA O MODELO SWAT. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.