NOVA ABORDAGEM PARA HIEGINIZAÇÃO E CRIAÇÃO DE GALLERIA MELLONELLA L.(TRAÇA-DA-CERA)

  • Iuri Teixeira
  • Larissa Farias Leite
  • Paulo Roberto Diniz da Silva
  • Maria Eduarda Bendersky Bizola
  • Luciélen Moreira Goulart
  • Igor Poletto
Rótulo Apicultura, 2, Micro-vespas, 3, colméias, 4, Tela, tule

Resumo

A conservação dos favos utilizados após safra é um aspecto de enorme interesse dos apicultores, sem que esses sejam corroídos pelas traças, impossibilitando seu aproveitamento. Dentre as traças, a da cera (Galleria mellonella L.) é uma das principais pragas das colméias, e sua ação causa prejuízos aos apicultores. Uma possibilidade de controle biológico é a utilização da micro-vespa (Apanteles galleriae Wilkinson),que parasita as larvas da traça da cera e mostrou-se um inimigo natural promissor para o controle biológico da traça-da-cera. Entretanto, as mariposas põem muitos ovos pequenos e suas larvas produzem resíduos que multiplicam a contaminações bacterianas e fúngicas fazendo que as abelhas aumentem o seu comportamento higiênico e dificultando as observações e a coleta de larvas e ovos.Assim, há necessidade de aprimorar a técnica que facilite a coleta de larvas para inoculação das micro-vespas. O presente estudo teve como objetivo verificar o número de larvas e mariposas após a utilização de tela de tule branco para isolar as iscas com dieta artificial. Deste modo, o experimento foi realizado no Laboratório de Controle de Pragas e Proteção de plantas da Universidade Federal do Pampa, Campus São Gabriel - RS. O delineamento experimental adotado foi o Delineamento Inteiramente Casualizado, constituído de dois tratamentos e cinco repetições, cada repetição representada por um frasco de vidro com população de três meses de desenvolvimento. A) Tratamento 01 (T1): vidro com borda coberta com a tela de tule branco e sem charuto; B) vidro borda coberta com a tela de tule branco e com 01 charuto (controle). Cada tratamento foi composto de cinco frascos (repetições). Os tratamentos foram incubados na câmara de crescimento em condições de temperatura de 28± 2° C e sem luz. Após três dias de incubação, procedeu-se a contagem e à análise de variância (ANOVA), quanto estas foram significativas com α< 0,05. As médias foram comparadas pelo Teste de Duncan. Os resultados apresentaram que as médias para o número de mariposas não existiram diferenças significativas entre os tratamentos. Entretanto, o T2 apresentou diferença significativa para as médias dos números de larvas na isca. Este método poderá ser uma alternativa eficiente na higienização dos vidros e na produção de larvas para experimentos de controle biológico de pragas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
TEIXEIRA, I.; FARIAS LEITE, L.; ROBERTO DINIZ DA SILVA, P.; EDUARDA BENDERSKY BIZOLA, M.; MOREIRA GOULART, L.; POLETTO, I. NOVA ABORDAGEM PARA HIEGINIZAÇÃO E CRIAÇÃO DE GALLERIA MELLONELLA L.(TRAÇA-DA-CERA). Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.