ESTUDO DO IMPACTO E APROVEITAMENTO SUSTENTAVEL DE SOLOS EÓLICOS EM EDIFICAÇÕES RURAIS

  • Natalia Garcez
  • Filipe Ribeiro de Almeida
  • Wilber Feliciano Chambi Tapahuasco
Rótulo arenização, solos, eólicos, edificações, rurais

Resumo

A região sudoeste do estado do Rio Grande do Sul possui como característica um fenômeno proveniente de processos erosivos chamado de Arenização. Esse fenômeno natural, somado ao mau manejo do solo, tem provocado um impacto negativo nas atividades agropecuárias na região da Campanha Gaúcha. Este trabalho teve como propósito realizar estudos de aproveitamento geotécnicos dos solos eólicos da região da Campanha Gaúcha (areais) e, visando a sua aplicação em edificações rurais. Com o intuito de conhecer a distribuição territorial dos areais na região da Campanha Gaúcha, foi utilizada uma imagem de satélite do Google Earth, para mapear os locais de interesse. O levantamento permitiu mapear 26 locais de arenização (areais), estes localizados nos municípios de Alegrete, Manoel Viana, Quaraí e São Francisco de Assis. As amostras coletadas de solos foram dos municípios de Alegrete e Manoel Viana. Seguidamente executaram-se ensaios laboratoriais, tais como granulometria pelo método do peneiramento (NBR 7181/ ABNT, 1984), massa específica dos grãos (norma cancelada ABNT NBR 6508, 1984). Além disso, sob a adição de 12% de cimento nos solos eólicos, foram realizados ensaios de compactação (NBR 7182/ ABNT, 1986). Após isso, os corpos de prova compactados foram submetidos a ensaios de expansibilidade (NBR 9895/ ABNT, 1987) e ensaios de resistência à compressão simples (NBR 12025/ ABNT, 1990). Os resultados obtidos para solos eólicos da Região da Campanha Gaúcha mostraram que os valores de LL e LP foram nulos e os coeficientes de uniformidade (CU) ficaram abaixo de cinco, definindo-se assim, como solos de granulometria uniformes. Pela metodologia SUCS os solos foram classificados como areias eólicas uniformes mal graduadas (SP). Os ensaios de expansibilidade realizados nas misturas solo eólico-cimento de 88%-12%, apresentaram valores por debaixo de 0,5%, atendendo dessa forma aos critérios do DNIT (2006), quanto ao aproveitamento de solos como camadas bases de rodovias. Além disso, adição de 12% de cimento nos solos eólicos, possibilitou obter corpos de prova com resistência à compressão simples acima de 2,7 Mpa. Consequentemente, considerando que a norma NBR 08491/ 1992 exige para confecção de tijolos maciços de solo-cimento, valores de resistência acima de 2 MPa, pode-se dizer, que os solos eólicos da região da Campanha Gaúcha podem ser aproveitado para essa finalidade. Com base nas vistorias de campo e estudos bibliográficos, é possível dizer que os efeitos provocados pelo processo de arenização extrapolam os limites do ambientalismo, transformando-se em problema socioeconômico, implicando em perdas de produção e produtividade agropecuária. Com o intuito de amenizar o impacto negativo provocado pela arenização na região da Campanha Gaúcha, os resultados experimentais do trabalho, mostraram que os solos eólicos sob mistura de 12% de cimento, podem ser aproveitados em edificações de rodovias rurais e confecções de tijolos maciços.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
GARCEZ, N.; RIBEIRO DE ALMEIDA, F.; FELICIANO CHAMBI TAPAHUASCO, W. ESTUDO DO IMPACTO E APROVEITAMENTO SUSTENTAVEL DE SOLOS EÓLICOS EM EDIFICAÇÕES RURAIS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.