EFEITO DA SERRAGEM NA COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DOMICILIARES

  • Pablo Bueno
  • Luiane Pacheco da Silva
  • Thais da Silva Ribeiro
  • Fernanda Lucero Rodrigues
  • Gustavo Freitas Lopes
  • Etiane Skrebsky Quadros
Rótulo Adubação, orgânica, Manejo, solo, pH

Resumo

A compostagem é uma excelente alternativa para o tratamento dos resíduos orgânicos. Para a melhor eficiência do processo os principais parâmetros que devem ser monitorados são temperatura, umidade, aeração, além do pH, relação carbono nitrogênio, e os microorganismos. Esse trabalho teve como finalidade utilizar resíduos orgânicos domiciliares, e verificar o efeito da serragem na elaboração de compostagem. O trabalho foi realizado na Estufa Agrícola da Unipampa, Campus Dom Pedrito de outubro a dezembro de 2018. Foram desenvolvidas compostagens com resíduos orgânicos como borra de café, casca de frutas, casca de ovos e casca de legumes. Os resíduos foram alocados em duas caixas de PVC (40 x 60cm). Como medida utilizou-se uma garrafa pet de dois litros, cortada ao meio. Na primeira caixa, foram alocados os resíduos orgânicos e solo, na proporção de 13 e 6 litros. Na segunda caixa 13 litros de resíduos orgânicos, 3 litros de solo e 5 litros de serragem. Os resíduos foram frequentemente revolvidos, observando-se o cheiro, a coloração, a umidade e a textura. Avaliações de pH, em 03/11/18, 26/11/18 e 11/12/18 foram efetuadas no Laboratório de Produção Vegetal. Em 20/12/18, amostras de cada caixa de aproximadamente meio quilo de compostagem foram enviadas a um Laboratório credenciado pelo método ROLAS (Rede Oficial de Laboratórios de Análise de Solo e de Tecido Vegetal dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina), para avaliação da textura, teor de matéria orgânica, teores de fósforo, potássio, cálcio e magnésio. O comportamento do pH durante o experimento iniciou com valores próximos a neutralidade 7,11 com serragem e 7,91 sem serragem. Estes valores, após um período de aproximadamente três semanas, passaram a se tornar alcalinos e na última medição, o pH apresentou uma redução, estabilizando entre 7,6 (sem serragem) e 7,8 (com serragem). O teor de matéria orgânica da compostagem sem serragem (9,1%), e com serragem (6,9%), indicam que as duas compostagens elaboradas apresentaram altos índices de material orgânico, em função dos resíduos aportados no início da elaboração do processo da compostagem. A textura da compostagem com e sem serragem (11%), foi considerada arenosa (ROLAS). Este resultado vai ao encontro da observação visual realizada ao final do experimento, onde a compostagem apresentou boa porosidade e permeabilidade. Além disso, apresentou cor e odor característico de terra de mata. Os teores nutricionais encontrados com e sem serragem, respectivamente, de Ca (11,4 cmolc dm-3 e 13,4 cmolc dm-)3, Mg (3,2 cmolc dm-3 e 3 cmolc dm-3), P (150 mg dm-1 e 150 mg dm-1) e K (400 mg dm-1 e 400 mg dm-1) foram altos (ROLAS), indicando um excelente processo de mineralização dos resíduos orgânicos. A compostagem elaborada foi adequada em relação ao pH final, textura, coloração e cheiro, além do teor mineral. A serragem proporcionou um bom balanço C:N quando aliada aos resíduos orgânicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
BUENO, P.; PACHECO DA SILVA, L.; DA SILVA RIBEIRO, T.; LUCERO RODRIGUES, F.; FREITAS LOPES, G.; SKREBSKY QUADROS, E. EFEITO DA SERRAGEM NA COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS DOMICILIARES. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.