USO INTRA-OVARIANO DE CLORETO DE CÁLCIO 10% EM RATA – ESTUDO PILOTO

  • Etiele Gomes
  • Endreo Alan Pail dos Santos
  • Maria Elisa Trost
  • Vitória Caroline Aires Silveira
  • Maria Ligia De Arruda Mistieri
  • Ingrid Rios Lima Machado
Rótulo Ovário, quimioesterilização, técnica, minimamente, invasiva

Resumo

A esterilização dos animais domésticos é utilizada como forma de controle e seleção da população. No entanto, referindo-se a população de animais errantes, ainda há déficit de técnicas de castração que permitam o uso em grande escala e com segurança. Nesse âmbito, a utilização de cloreto de cálcio diluído em etanol como agente quimioesterilizante em machos demonstrou ser capaz de promover azoospermia e diminuição do peso testicular. Contudo, pouco se sabe sobre seu efeito esterilizante quando aplicado em ovários. Frente a isso, o presente estudo visou avaliar a evolução clínica, macro e microscópica ovariana 60 dias após aplicação intraovariana guiada por ultrassom de cloreto de cálcio à 10% diluído em etanol 95% em rata adulta. Este estudo piloto foi conduzido de acordo com as diretrizes do CEUA UNIPAMPA (protocolo 020/2018). O animal aclimatado por 15 dias e foi avaliado clinicamente para detecção de alterações previamente ao início do experimento. Em sequência, o mesmo foi submetido ao protocolo anestésico adequado à espécie e preparado com tricotomia e antissepsia abdominal. Para identificação ovariana na ultrassonografia foi utilizado transdutor linear multifrequencial de 13 MHz. Após localização ovariana por meio da ultrassonografia, foi injetado 0,15mL de cloreto de cálcio 10% diluído em etanol 95% em cada ovário de forma percutânea guiada. O animal foi avaliado clinicamente até o momento da eutanásia, que foi realizada 60 dias após, com uso de sobredose anestésica. Na avaliação macroscópica dos órgãos, posterior à eutanásia, foi observada presença de aderência entre ovário esquerdo, útero e gordura periovariana. No ovário direito foi identificada apenas presença de um cisto. Estes achados sugerem que o composto induziu processo inflamatório local e/ou que pode ter ocorrido seu extravasamento durante a aplicação. Em sequência, ambos os ovários foram coletados, fixados em formalina 10%, corados com hematoxilina-eosina e examinados em microscópio óptico. Na avaliação histológica do ovário esquerdo foram observados focos de deposição de cálcio em parede de artéria, bursa ovariana e em gordura mesentérica, nesta última já havendo necrose tecidual com presença de células gigantes, além da presença de hemosiderina e material proteináceo ao redor da bursa. No ovário direto foi obervado presença de cálcio na gordura periovariana com foco de mineralização e perda da arquitetura ovariana. Assim sendo, os achados mostram que a aplicação intra-ovariana de cloreto de cálcio foi capaz de promover lesão no órgão, sem promover alterações clínicas no animal. No entanto, novos estudos são necessários para maior padronização e avaliações quanto ao efeito quimioesterilizante do composto quando aplicado intraovariano.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
GOMES, E.; ALAN PAIL DOS SANTOS, E.; ELISA TROST, M.; CAROLINE AIRES SILVEIRA, V.; LIGIA DE ARRUDA MISTIERI, M.; RIOS LIMA MACHADO, I. USO INTRA-OVARIANO DE CLORETO DE CÁLCIO 10% EM RATA – ESTUDO PILOTO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.