RECONSTRUÇÃO DERMO-FACIAL DE CÃO COM AVULÇÃO DE LÁBIO SUPERIOR BILATERAL

  • Guilherme Cassanego
  • Rainer da Silva Reinstein
  • Francieli Mallmann Pozzobon
  • Priscila Inês Ferreira
  • Daniel Curvello de Mendonça Muller
Rótulo Retalhos, Traumatismo, Reparo, tecidual, Flapes

Resumo

A cirurgia reconstrutiva, utiliza-se da reconstrução tecidual, para o tratamento de defeitos traumáticos de pele, quando fechamento primário não é possível. Resultam em redução de infecções, além de facilitar sobremaneira o manejo da ferida. Traumatismos faciais em cães, principalmente no focinho, resultam em pouca pele adjacente, o que torna a cirurgia reparadora um desafio cirúrgico. O objetivo deste trabalho é descrever o caso de um canino adulto, sem raça definida, atendido no Hospital Veterinário Universitário, apresentando lesão bilateral em lábio superior e plano nasal. O mesmo tinha histórico de tratamento prévio com retalho de avanço unidirecional, porém sem sucesso. Após internação do paciente, as lesões foram tratadas com limpeza, remoção de debris celulares e posterior aplicação de açúcar cristal, visando a formação de leito de granulação saudável. Adaptou-se sonda esofágica para alimentação. Após obtenção de ferida granulada, o animal foi encaminho para fechamento cirúrgico, através de reavivamento das bordas. Introduziu-se uma sonda de uretral nº10 em cada narina, permitindo o fluxo de ar trans e pós-operatório, além de evitar o colabamento nasal. Aplicado dois pontos de reparo em cada lateral dos lábios, realizou-se incisão paralela ao plano nasal bilateral, confeccionando duplo retalho unipediculado, incluindo as veias labiais superiores. Procedeu-se a síntese da mucosa labial com a oral com fio PDX nº3-0 em pontos isolados, ocluindo o possível acúmulo futuro de alimento. As bordas foram mantidas em aposição na região labial com fio PDX nº3-0. Logo após a região dorso nasal foi divulsionada, com aproximação do subcutâneo no plano nasal com mesmo fio anterior. Ao final, realizou-se incisão de relaxamento ventral a incisão lateral, a fim de reorganizar o tecido. A síntese de pele foi realizada com fio de náilon nº3-0 no padrão isolado simples. O pós-operatório imediato compreendeu a manutenção da sonda esofágica para alimentação, analgesia, anti-inflamatório, antimicrobiano, colar protetor e limpeza no local das incisões com gaze e solução de NaCl 0,9%. A retirada dos pontos de pele e sonda esofágica se deu aos 10 dias de pós-operatório quando observou-se a boa recuperação do animal. A opção pelos retalhos em avanço em detrimento dos de rotação, basearam-se na necessidade de revestimento mucoso na cavidade oral, entendendo a falta dos tecidos em espessura completa. A rotação de tecido cervical ou sub-auricular para substituição do tecido perdido, resultariam em tecido subcutâneo com contato direto com a cavidade oral, podendo resultar em alterações irritativas. Ademais, retalhos de avanços são de conformação simples e bases amplas e sem desvios angulares, o que evita o estrangulamento de ramos vasculares. Conclui-se que a utilização de retalhos de avanço unidirecional na região facial é adequada para lesões próximas ao plano nasal, proporcionando cicatrização das lesões cutâneas, com retorno estético e funcional da cavidade oral.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
CASSANEGO, G.; DA SILVA REINSTEIN, R.; MALLMANN POZZOBON, F.; INÊS FERREIRA, P.; CURVELLO DE MENDONÇA MULLER, D. RECONSTRUÇÃO DERMO-FACIAL DE CÃO COM AVULÇÃO DE LÁBIO SUPERIOR BILATERAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.