QUANTIFICAÇÃO DE CORANTE VERMELHO 40 EM PÓS PARA GELATINA DE DIFERENTES SABORES

  • Victória Scherer
  • Fernanda Barboza Reis
  • Stephanie Pereira Torres
  • Paula Ferreira de Araujo Ribeiro
Rótulo toxicologia, alimentos, corante, artificial, espectrofotometria, IDA

Resumo

A cor é uma característica importante na alimentação, pois a percepção humana comumente à relaciona aos sabores e aromas dos alimentos. Assim, um dos principais objetivos da adição de corantes em alimentos é torná-los mais atrativos ao consumidor. Nos dias atuais, a utilização de corantes artificiais em alimentos levanta questões relacionadas à segurança alimentar, tendo em vista que uma das classes mais comumente utilizadas é a do tipo AZO. Os corantes pertencentes à classe AZO apresentam em sua estrutura química um anel naftaleno ligado a um anel benzeno por uma ligação azo, podendo ser precursores de substâncias com alto potencial mutagênico e carcinogênico. O estudo teve como objetivo quantificar o corante artificial vermelho 40 em pós para gelatina sabor morango, framboesa e cereja e calcular a quantidade de corante presente em uma porção de gelatina pronta, a fim de se constatar sua conformidade com a legislação brasileira e estabelecer os limites máximos de ingestão diária das preparações para uma criança de 20 kg, conforme a IDA (Ingestão Diária Aceitável) para o vermelho 40. A técnica utilizada para a quantificação do corante consistiu em extrair o mesmo com solução de metanol amoniacal 5% (v/v) e posterior leitura da absorbância em espectrofotômetro UV-Visível a 505 nm. Foram utilizadas amostras de pó para gelatina de uma única marca. Primeiramente, foi calculada a quantidade de corante presente nos pós analisados, através da fórmula C = Absorbância/E1cm, onde C é a concentração do corante em gramas, visando mensurar a quantidade do mesmo em uma porção de gelatina pronta. Com base em informações contidas nos rótulos dos produtos analisados, uma porção de gelatina pronta equivale a 120 g e contém 5,7 g de pó. Os resultados obtidos foram: 16,9; 13,9 e 9,8 mg corante/porção de gelatina pronta para os sabores morango, cereja e framboesa, respectivamente. Segundo a Resolução nº 388, de 05 de agosto de 1999 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o limite máximo de corante vermelho 40 em uma porção de 100 g de gelatina pronta é de 15 mg. Sendo assim, para uma porção de 120 g o limite máximo permitido é de 18 mg. Os resultados mostram que as quantidades de vermelho 40 nos produtos analisados estavam em conformidade com a legislação brasileira. Com base na IDA para o vermelho 40 (7 mg/kg m.c/dia), uma criança com 20 kg poderá consumir 140 mg do corante/dia, sendo permitido à mesma um consumo diário em torno de 8 porções de gelatina de morango, 10 de cereja e 14 de framboesa, sendo cada porção de 120 gramas. É importante salientar que os resultados apresentados servem como referência apenas para um tipo de marca comercial de gelatina, não podendo ser utilizado como um dado universal. Pode-se perceber que as concentrações de corante variaram entre os produtos avaliados e, consequentemente, o número de porções diárias também, sendo que quanto maior a quantidade de corante presente no produto, menor é a quantidade permitida para o consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-28
Como Citar
SCHERER, V.; BARBOZA REIS, F.; PEREIRA TORRES, S.; FERREIRA DE ARAUJO RIBEIRO, P. QUANTIFICAÇÃO DE CORANTE VERMELHO 40 EM PÓS PARA GELATINA DE DIFERENTES SABORES. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 2, 28 ago. 2020.