PRIMAVERA ÁRABE NA SÍRIA: A CORRELAÇÃO DE FORÇAS NA EVOLUÇÃO DAS REVOLTAS POPULARES À GUERRA CIVIL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Carla Ricci

Resumo

A Primavera Árabe na Síria, diferentemente da maioria dos países vizinhos que também foram cenários das manifestações populares em 2001, tomou cursos políticos, econômicos e sociais muito mais complexos e graves do que se alme-java. Muito distante de lograr a deposição do presidente Bashar al-Assad, as revoltas, que inicialmente tinham cunho pacífico, evoluíram a um contexto de guerra civil crônica, que já perdura mais de cinco anos. Ao invés da luta por di-reitos e democracia, como anunciavam as primeiras insurreições, a busca pela deposição do presidente Assad tem envolvido interesses muito mais profundos e invocado relações muito mais complexas. O presente artigo visa, portanto, identificar essas relações e interesses, os quais advêm dos cenários tanto in-terno sírio quanto internacional, que têm sido catalisadores da manutenção do conflito civil no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RICCI, C. PRIMAVERA ÁRABE NA SÍRIA: . GAE-OMAM-Grupo de Análise Estratégica—Oriente Médio e África Muçulmana, v. 1, n. 1, 12 nov. 2016.
Seção
Artigos